Ao vivo: Assembleia da APP-Sindicato decide se mantém ou não greve contra Beto Richa

Educadores decidem na manhã deste sábado (22), em Curitiba, se mantém ou suspendem a greve por tempo indeterminado contra o calote do governador Beto Richa (PSDB), que revogou a reposição salarial da categoria — e dos servidores públicos do estado — prevista na data-base de janeiro de 2017.

Não há consenso entre professores e servidores de escolas sobre o fim da greve. A direção da APP-Sindicato encaminhará hoje pela suspensão do movimento. No entanto, Professor Paixão, uma das lideranças dos trabalhadores na educação paranaense, vê “pura enrolação” na proposta do governador tucano.

Segundo Paixão, a proposta de Richa, de retirar a Mensagem 403, que acaba com a data-base, é pura enrolação para desmobilizar o magistério e impedir que outras categorias engrossem o movimento paredista. Defendendo a continuidade da greve, Paixão diz que “se Richa tiver êxito, chegaremos ao final do seu mandato com um poder aquisitivo 1/3 menor do que temos hoje”.

Os professores das instituições estaduais de ensino superior (IEES) já deliberaram na tarde desta sexta (21) pela rejeição na proposta do governador Beto Richa. Ou seja, pela continuidade da greve nas universidades estaduais do Paraná.

app_richa

Comentários encerrados.