Sarney diz em carta a Requião que ‘não sente saudade’ do Senado golpista

sarney_requiaoO ex-presidente José Sarney disse em carta endereçada ao senador Roberto Requião (PMDB-PR), após a votação do golpe, que não sente nenhuma saudade do Senado.

“Não sinto saudade do Senado, mas sinto falta dos amigos, como você, uma das poucas inteligências de que a gente podia desfrutar na troca de ideias”, diz um trecho da missiva enviada ao correligionário paranaense.

Sarney mandou a carta para agradecer Requião pela comparação que fez de seu governo (1985-1989) com o do ilegítimo Michel Temer (PMDB) em discurso no Senado.

Na comparação das duas administrações, o senador elencou as medidas de defesa dos trabalhadores e da soberania nacional da presidência Sarney e os atentados à CLT e à independência brasileira praticados pelo governo interino.

“Foi bom você relembrar a minha posição de defesa do nosso País, que sustentei naquele discurso que proferi na última reunião ministerial, o qual você teve a bondade de ler: ‘Não entreguei (…) não cedi, não concedi'”, afirma noutro trecho.

Emocionado com a carta, Sarney revelou que ficou internado os últimos 25 dias em virtude de uma operação no Sírio-Libanês, em São Paulo. Ele sofreu uma queda que o fez perder os movimentos do lado esquerdo e o “centro de gravidade” — ou seja, o equilíbrio.

Abaixo, leia a íntegra da carta de Sarney ao senador Requião:

http://www.esmaelmorais.com.br/wp-content/uploads/2016/09/carta-do-presidente-sarney.pdf

Comentários encerrados.