Parlasul recebe denúncia de perseguição a Lula

parlasulO Parlamento do Mercosul (Parlasul) recebeu denúncia, nesta sexta (16), em Montevidéu, no Uruguai, do atentado ao Estado Democrático de Direito perpetrado pelo Ministério Público Federal brasileiro contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Os senadores Gleisi Hoffmann (PT-PR), Roberto Requião (PMDB-PR), Lindbergh Farias (PT-RJ) e o deputado Arlindo Chinaglia (PT-SP) denunciaram o MPF que, sem provas, apenas por convicção de alguns procuradores, apontaram o ex-presidente Lula como “comandante máximo” de uma organização criminosa no Brasil.

Segundo os parlamentares, Lula sofreu um verdadeiro ataque à sua dignidade humana e de sua família. Eles destacaram que esse fato acontece na sequência do golpe parlamentar sofrido pela presidenta Dilma, que foi afastada do poder sem ter cometido crime, sem base constitucional.

“Vivemos um golpe continuado no Brasil, em que um dos objetivos principais é impedir que Lula volte em 2018”, disse a senadora Gleisi.

Os parlamentares também alertaram para as ações do chanceler brasileiro, José Serra, contra o Mercosul. Serra tem reiteradamente falado contra a tarifa comum. Sem ela o bloco perde sua finalidade.

“De que servirá o Parlasul sem o Mercado Comum? Estamos vendo o velório deste Parlamento sem nenhuma reação por nossa parte”, provocou Requião.

“O governo golpista quer transformar o Mercosul em Alcasul, uma área de livre comércio.”

Também um manifesto de parlamentares do Parlasul foi assinado em solidariedade ao presidente Lula, que tem grande respeito e prestígio entre os países do Mercosul.

Comentários encerrados.