Massacre de professores: Justiça nega direito de resposta a Richa em horário de Fruet

O governador Beto Richa (PSDB) não teve sucesso num pedido de direito de resposta no programa eleitoral de Gustavo Fruet (PDT), exibido no último dia 30 de agosto.

A juíza Sayonara Sedano considerou improcedente pedido do tucano, pois, segundo ela, o massacre de 29 de abril de fato ocorreu no Centro Cívico.

Na peça veiculada, o pedetista tira uma “casquinha” do governador do PSDB.

“Naquele dia de um lado estavam os professores do Estado sendo agredidos, humilhados e impedidos pelo Governador Beto Richa de lutar por uma educação melhor. Do outro estava o prefeito Gustavo Fruet que valoriza a educação e acolheu, protegeu e prestou atendimento aos professores feridos”, diz o texto no vídeo.

“Hoje as alianças do Rafael Greca mostram de que lado ele está [mostrando foto de ambos, juntos]. E você, no dia 2 de outubro de que lado vai ficar?”, completa.

Com a decisão da magistrada, Fruet poderá continuar vinculando a imagem de Greca a Richa. Como até as capivaras do Parque Barigui sabem, os dois últimos mantêm em “segredo” – pelo menos na TV — a relação política surgida ainda nos “bons tempos” de Jaime Lerner.

richa_massacre_greca_fruet

Comentários encerrados.