Blog do Esmael transmite AO VIVO sessão da Alep para vender Copel e Sanepar; acompanhe

O Blog do Esmael, em parceria com a TV 15, a partir das 14h30, transmite ao vivo para o Brasil e o mundo a sessão da Assembleia Legislativa do Paraná que discute a venda das estatais Copel (energia) e Sanepar (água e esgoto).

O governador Beto Richa (PSDB) tenta retomar a ideia do ex-governador Jaime Lerner que, nos idos de 2000, também quis privatizar as duas empresas estratégicas para o desenvolvimento do Paraná.

Tal qual seu criador (Lerner), a cria (Richa) quer torrar os ativos das estatais numa criminosa farra publicitária. Somente ganham com as privatizações a velha mídia, os jornalões, a Globo. Para o povo sobra os tarifaços e a conta da quebradeira do estado.

De acordo com as últimas pesquisas, 94% dos paranaenses são contrários à venda da Copel e Sanepar.

Exemplo de unidade contra a dilapidação do patrimônio público foi o Fórum Contra Venda da Copel, em 2001, que reuniu 429 entidades da sociedade civil.

15 anos depois de derrotar a proposta lernista, eis que ressurge a organização agora denominada ‘Fórum Popular em Defesa das Empresas Públicas’ que agrega mais de 200 entidades da sociedade civil e partidos políticos.

É importante que esses amplos fóruns dissipem as reivindicações corporativas, isto é, da luta salarial, em nome de um ‘Projeto para o Paraná’, portanto maior, — algo que o vocábulo de Richa desconhece. Toda vez que uma categoria olhou para o próprio umbigo, em detrimento da sociedade, perdeu o embate para o governo de plantão.

richa_copel_sanepar_venda-600x300

Sobre a venda da Copel e da Sanepar

Em novo “pacotaço” o governador Beto Richa quer fatiar as empresas públicas e se desfazer de R$ 2 bilhões em ações, mantendo apenas o mínimo para continuar majoritário. O ato contra a proposta do governo Beto Richa, às 14 horas no plenário da Alep, é organizado pelo Fórum Popular em Defesa das Empresas Públicas.

Para que vender parte das empresas mais lucrativas do Estado? O que será feito com o dinheiro arrecadado? O Projeto de Lei 419/2016 enviado à Alep não dá conta de explicar isso. Isso porque a entrega do patrimônio público é injustificável.

Com o “ajuste fiscal” o Governo quer novamente lesar o povo paranaense para cobrir contas de uma administração irresponsável. Em 2014, foi o aumento elevadíssimo do ICMS em mais de 95 mil itens, o aumento do IPVA, a taxação das aposentadorias e outros cortes no bolso da população para o rombo. Agora, querem sacrificar parte da Copel e da Sanepar.

Hoje os paranaenses detêm 58,6% das ações da Copel e 74,97% da Sanepar. Com a venda, o governo entregará 8,5% das ações da Copel. No caso da Sanepar, o leilão será de cerca de 25% das ações da empresa.

As empresas arrecadam por ano R$ 200 milhões aos cofres do governo. A perda anual com a venda do excedente dos ativos da Copel e Sanepar no mercado financeiro poderá chegar a R$ 60 milhões por ano.

Fundamentais para o desenvolvimento do Paraná, para o acesso à água, ao saneamento básico e demais serviços essenciais à população, a Copel e a Sanepar são as empresas mais lucrativas do povo paranaense.

Em 2015, a Copel atingiu uma receita operacional líquida de cerca de R$ 14 bilhões, e um lucro líquido de R$ 1,3 bilhão. O patrimônio líquido da estatal de energia elétrica, que tem uma carteira de 4,5 milhões de clientes, é de R$ 13 bilhões.

A Sanepar não foge dos números. No mesmo ano, a receita operacional líquida da empresa de saneamento foi de quase R$ 3 bilhões, o lucro líquido foi de R$ 438 milhões, e o patrimônio líquido da empresa é estimado em R$ 4,2 bilhões.

E não são apenas números como esses que estão em risco com a entrega de parte da empresa. As estatais representam também a vida de milhares de trabalhadores e familiares. São 8.813 funcionários próprios e 6.457 terceirizados na Copel, e 7.473 empregados próprios e 3 mil terceirizados na Sanepar. São mais de 26 mil trabalhadores nas duas estatais.

É pelo futuro do patrimônio da população paranaense que dizemos:

NÃO À VENDA DA COPEL E SANEPAR.

6 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. O Governo fatia a empresa pública fica com a maioria é mantém o cabide de empregos… E continua a despesa para o contribuinte que tem que bancar o cabide porque empresário não vai bancar.

  2. projeto de bico de tucanos corruptos e ladroes,do jeito que come caga vergonha.

  3. Esses porras desses deputados não foram eleitos para moderar e fiscalizar o
    poder executivo?
    Se esse projeto inclui a “renúncia” dos deputados ao controle e fiscalização
    sobre a venda das ações Copel/Sanepar pelos deputados, pra que foi que
    elegemos esses porras então?
    Vamos fechar essa ALEP então, já que esses nabas não servem pra nada.

    • Se é pra dar cheque em branco assinado pro governador vender as ações
      e fazer o que quiser com o dinheiro, então NÃO precisamos de deputados,
      que inclusive NÃO nos representam.
      Vão repetir a história do confisco do pecúlio previdenciários do funcionalismo
      e dos professores.
      NÃO reeleja NINGUÉM, da tal base governista!

  4. E como fica o londrinense cujo prefeito tucano acabou de renovar o contrato com a Sanepar por mais 30 anos? Vão ajudar a enriquecer os grupos que podem adquirir a Sanepar quando poderiam ter sua própria empresa de água e esgoto.

  5. A privataria neo liberal so muda o estado.mas o molde padrao desses saqueadores e o mesmo onde deveriam governar por quem foram eleitos por quem acha que conhece mais politica que eleitores do voto roubado.e destilam seu odio por nao dispor da mesma capacidade capacidade de compreensão.