Para salvar Cunha, golpe contra a democracia foi marcado para o dia 25 de agosto

dilma_temer_renan_cunhaO interino de Michel Temer (PMDB) vai ganhar “medalha de ouro” em nado sincronizado, pois conseguiu antecipar a votação do impeachment para o dia 25 de agosto e adiar a votação da cassação de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) para dia 12 de setembro. Tudo aos olhos do Supremo, que se finge de samambaia.

O objetivo do governo provisório é afastar definitivamente Dilma Rousseff antes da apreciação da perda ou não do mandato de Cunha. Temer receia que o ex-presidente da Câmara o delate, caso seja cassado.

A ideia é defenestrar Dilma, mas salvar Cunha. É o script do Palácio do Planalto desenhado pelo próprio Temer, com a providencial ajuda do ministro Gilmar Mendes, do STF, e do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL).

O juízo final do impeachment de Dilma será no dia 25 de agosto a partir das 9 horas. O Blog do Esmael vai transmitir ao vivo.

Nesta sexta (12), o advogado de Dilma, José Eduardo Cardozo, entregou à Secretaria Geral da Mesa do Senado o contraditório ao libelo apresentado pela acusação. O documento tem 673 páginas.

Sobre a coleção de medalhas pelo interino, a imprensa internacional tem registrado que o governo Temer é medalhista no quesito corrupção. O ex-presidente do STF, Joaquim Barbosa, também disse que a tropa do PMDB chegou ao poder para se proteger [da Lava Jato] e continuar saqueando o país.

Abaixo, assista ao vídeo da Agência Senado:

Comentários encerrados.