Guilherme Boulos prevê o país andando “30 anos para trás” com Michel Temer

guilherme_boulosO coordenador nacional do movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), Guilherme Boulos, disse ontem (11), em Curitiba, que “o país vai andar 30 anos para trás” com o interino Michel Temer (PMDB).

A previsão da marcha à ré na História deu-se durante debate no Circo da Democracia, que se encerra no próximo dia 15.

“É um programa que jamais seria eleito, talvez sem precedentes na nossa história recente. É um programa de terra arrasada. Querem fazer o país andar 30 anos para trás. Para eles a Constituição de 1988 é um obstáculo para a retirada de direitos”, disse o líder do MTST.

Para Guilherme Boulos, que também integra a Frente Povo Sem Medo, organização com mais de 30 entidades, o governo Temer é perigoso. Talvez seja o governo mais perigoso desde a Nova República.

“Nós estamos vivendo neste momento no Brasil um golpe duplo, nós temos um presidente que não foi eleito, biônico, que não recebeu voto de ninguém”, alertou.

Segundo Boulos, o interino implementa um programa que jamais seria eleito, talvez sem precedentes na nossa história recente. “É um programa de terra arrasada. Querem fazer o país andar 30 anos para trás. Para eles a Constituição de 1988 é um obstáculo para a retirada de direitos”, repetiu.

Assista ao vídeo:

Sobre o bordão de que os direitos previstos na Constituição não cabem no orçamento, é incisivo: “É o projeto deles é que não cabe na democracia, e por isso é que tiveram que dar golpe. Este programa vai deixar sequelas que podem durar duas ou três gerações”.

Independente da votação no senado, o momento atual tem que ser encarado com de resistência democrática. “Eles estão abrindo um período de instabilidade histórica no país, porque vão mexer nos pontos essenciais”.

Com informações de Ednubia Ghisi, fotos de Leandro Taques, vídeo de Rodrigo Gomes (canal do Youtube), do Circo da Democracia

Comentários encerrados.