Dilma lidera virada contra o golpe em Curitiba

dilma_viradaA presidente eleita Dilma Rousseff liderou no começo da noite desta segunda (8), em Curitiba, uma ato pela virada contra o golpe de Estado.

Dilma abriu fogo contra o interino Michel Temer (PMDB) denunciando o programa de corte de direitos aplicado de maneira antidemocrática.

“Um programa nunca seria aplicado sem passar pela votação. Quem de nós aprovaria o fim do modelo de partilha do pré-sal?”, questionou.

A presidente também criticou a censura nas arenas e estádios em que estão ocorrendo jogos da Olimpíada.

“Não surpreende que tenham prendido pessoas que pedem o ‘Fora Temer’. Começam a tentar impedir que as pessoas identifiquem o golpe como golpe. Estabelecem que é proibido falar em certos lugares, como proibiram no Maracanã”.

Em clima de virada, a presidente declinou o núcleo duro do golpe de Estado: “a mídia oligopolista, uma parte da oposição ao meu governo, que foi sendo substituída pela parte mais fisiológica, mas nem por isso menos ávida – esta parte representa o governo provisório interino -, e toda uma parte do capital especulativo financeiro”. “Podem ter outros grupos, mas este é o núcleo duro do golpe”, destacou.

Dilma participou do Circo da Democracia, na Praça Santos Andrade, na UFPR, ao lado de Marcelo Lavenére, o ex presidente da OAB, conselheiro atual da entidade e autor do processo de impeachment do ex presidente Collor, Alice Ruiz, poeta e compositora paranaense, Roberto Requião, senador pelo Paraná (PMDB), Gleisi Hoffman, senadora pelo Paraná (PT), Vagner Freitas, presidente nacional da CUT, Roberto Baggio, da coordenação estadual do MST.

O Circo é um dos maiores fóruns públicos do país sobre democracia, educação, política, justiça, arte e cultura, economia e comunicação.

Dentro do circo, cerca de 800 pessoas participaram do encontro. Outras 2 mil pessoas assistiram ao evento pelo telão colocado em frente à escadaria da universidade mais antiga do país — a UFPR.

Com informações do Mídia Ninja

Comentários encerrados.