Depois de confirmar Temer na Lava Jato, número 2 da PGR pede exoneração

ela_temer_lava_jatoO interino Michel Temer (PMDB) foi delatado na Lava Jato. A confirmação da vice-procuradora da República, Ela Wiecko Volkmer de Castilho, causou apreensão e frouxos intestinais no Palácio do Planalto à véspera da votação do golpe no Senado.

A número 2 da PGR pediu exoneração do cargo hoje depois de revelar, em entrevista à VEJA, que Temer está atolado na corrupção da Petrobras.

“E pelas coisas que a gente sabe do Temer, não me agrada ter o Temer como presidente. Não me agrada mesmo. Ele não está sendo delatado? Eu sei que está. Eu não sei todas as coisas a respeito das delações, mas eu sei que tem delação contra ele. Então, não quero. Mas as coisas estão indo”, disse Ela ao repórter Rodrigo Rangel.

Mais: a procuradora afirmou também que o processo de impeachment “é um golpe, é um golpe benfeito, dentro daquelas regras”.

A tese de senadores contrários o golpe, nesta terça (30), foi de que o impeachment é apenas pretexto para enterrar a Lava Jato.

Além de Temer, pelo menos 35 senadores também estariam envolvidos em esquema de corrupção e outros crimes investigados no STF.

Será que o ministro Ricardo Lewandowski, que preside a sessão do golpe, também faz parte do conchavo com o ‘sindicato de ladrões’ como dizem a imprensa estrangeira? Por que o magistrado é tão paparicado numa contenda que está cassando a Presidente da República? Por quê?

Comentários encerrados.