Câmara só cassará Cunha se o impeachment for barrado pelo Senado

cunha_temer_dilmaParece esquizofrenia, mas é isto que os golpistas construíram para o país.

Se Dilma Rousseff for cassada no final deste mês de agosto pelo Senado, quase certeza, o deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) será absolvido pela Câmara.

O cenário inverso também é verdadeiro. Senão, vejamos:

Se o Senado barrar o impeachment da presidente, a Câmara necessariamente cassa Cunha. Ou seja, o destino de um está selado ao do outro.

Por isso o governo interino Michel Temer (PMDB) agiu para adiar a votação de Cunha para 12 de setembro e antecipar o julgamento de Dilma para 25 de agosto.

O medo dos golpistas é de que surgissem novas delações na Lava Jato contra Temer antes da votação do impeachment.

O próprio deputado Cunha ameaçou fazer delação premiadíssima.

Se Dilma for cassada, Cunha continuará na Câmara. Eis o acordão.

Portanto, os senadores não só poderão afastar uma presidente honesta como também — com a mesma cajadada — preservar o mandato do ex-presidente da Câmara comprovadamente corrupto.

Além de punir uma mulher honesta sem crime e absolver um deputado que deveria estar preso, o Senado igualmente abrirá as portas do inferno para os trabalhadores, pois, como é sabido, Temer planeja o fim de direitos sociais e trabalhistas.

Comentários encerrados.