Por goleada, CCJ rejeita relatório que adiava cassação de Eduardo Cunha

serraglio_cunhaPor 40 votos a 11, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) rejeitou no início desta noite o relatório do deputado Ronaldo Fonseca (PROS-DF), que defendia a retomada da votação do processo no Conselho de Ética. O texto daria sobrevida ao deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

Com 52 deputados votantes no colegiado, 11 votaram a favor do relatório e um se absteve.

Com a decisão, foi mantida a análise hoje do recurso de Cunha na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) contra a decisão do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar de encaminhar ao Plenário o processo de cassação do mandato dele. Agora, a CCJ iniciará a discussão do caso.

Caso inicie a sessão ordinário do plenário, a CCJ retornará amanhã às 10h30, conforme anúncio do presidente Osmar Serraglio (PMDB-PR).

Portanto, a cassação do deputado afastado pode ainda ocorrer antes do recesso parlamentar — o que poderia representar a terceira derrota do interino Michel Temer (PMDB) na Câmara em apenas uma semana.

A primeira derrota do interino ocorreu semana passada, quando os deputados rejeitaram pedido de urgência que trata do acordo de renegociação das dívidas dos estados; a segunda aconteceu hoje, quando o PMDB indicou Marcelo Castro (PI) como candidato à presidência da Câmara — contra a vontade do Palácio do Planalto.

Com informações da Agência Câmara.

Comentários encerrados.