PMDB racha com “centrão” para lançar Marcelo Castro à presidência da Câmara

pmdb_camaraO deputado Marcelo Castro (PMDB-PI) deverá ser oficializado na manhã desta terça (12) como candidato anti-centrão à presidência da Câmara. Ele foi ministro da Saúde de Dilma Rousseff e votou contra o impeachment.

O parlamentar é uma aposta para atrair apoio das bancadas do PT, PCdoB, Rede e PDT na eleição desta quarta (13) à tarde.

Na reunião da bancada na manhã de hoje, os peemedebistas ainda analisarão outros nomes: o presidente da CCJ, Osmar Serraglio (PR); e Carlos Marun (MS), da tropa de choque de Eduardo Cunha (RJ).

Há também uma corrente no PMDB que defende apoio ao deputado Rogério Rosso (PSD-DF), mas este representa o “centrão” e presidiu a comissão do impeachment na Câmara.

No auge no impeachment, em maio, o centrão reunia parlamentares dos seguintes partidos: PP, PR, PSD, PTB, PROS, PSC, SD, PRB, PEN, PTN, PHS e PSL. No seu melhor momento, o bloco dizia representar 225 deputados.

Entretanto, de lá para cá muita coisa mudou. Na semana passada, por exemplo, o interino Michel Temer (PMDB) sofreu a 1ª grande derrota na Câmara, o que denota a desorganização da base golpista que é presidida pelo fisiologismo mais ralé.

Na eleição de amanhã, para presidente da Câmara, haverá uma pluralidade de candidaturas governistas. Isto, sem dúvida, dificulta a vida do interino.

Comentários encerrados.