Marcelo Araújo: Fruet e a maldita judicialização

guga__chik_marceloO advogado Marcelo Araújo, especialista em trânsito e multa, em sua coluna desta terça (25), afirma que, nestas eleições, “[a] judicialização que poderá roubar a cena do debate saudável e inteligente” ao relatar a primeira ação do prefeito Gustavo Fruet (PDT) contra o adversário Rafael Greca (PMN). O colunista também toma as dores do bruxo Chik Jeitoso, que foi processado pelo pedetista. Abaixo, leia, ouça, comente e compartilhe a íntegra do texto:

Download do áudio

Fruet, o “imbatível” prefeito virtual

Marcelo Araújo*

O prefeito Gustavo Fruet expôs seus medos e fragilidades ao mover a primeira ação contra seu pretenso adversário de maior peso, Rafael Greca, segundo indicativos de pesquisas de intenções. Posso estar errado na minha avaliação, mas com isso o nome do adversário repercutiu e ganhou propaganda grátis, e um ‘avant première’ da judicialização que poderá roubar a cena do debate saudável e inteligente. Aliás, notório o temor que o prefeito tem do debate real, a exemplo de sua postura covarde de ter fugido da sabatina da Gazetona, na qual seu primeiro alvo Rafael Greca fechou a rodada e parece estar colhendo frutos.

O alvo de Gustavo Fruet foi o Facebook. Em agosto/2014 o TSE já se manifestou acerca da intervenção mínima na rede social, exceto em situações excepcionais, tais como ofensas e interferência econômica (clique aqui).

A ostentação e demonstração de poder econômico no facebook podem induzir a erro, o que nas ações de pensão alimentícia são uma arma poderosa. ‘Ele não tem dinheiro pra pagar a pensão mas estava andando de barco e carro conversível no final de semana’. Sob tal aspecto o judiciário tem que ser cauteloso com Gustavo Fruet, e dou um exemplo real.

Numa ação criminal movida por seu Secretário de Governo contra o Sr. Luiz Antônio Pereira Ferreira (Chik Jeitoso), a busca da condenação se viu frustrada por uma questão processual que devolveu o direito à transação ao réu. O réu argumentou a dificuldade financeira, em parte pela inadimplência do prefeito por trabalhos espirituais, a cumprir a proposta transacional. Ao sair da audiência, o réu emprestou uma garrafa de Chandon e duas taças, de uma adega ao lado do estacionamento do Juizado, simulando um brinde à frustração causada no acusador.

Vocês acreditam que Gustavo Fruet usou a dita foto num processo de indenização cível que move contra o mesmo réu para dizer que devido à Chandon (que nem estava gelada, nem aberta, nem foi comprada!) que ele mentira sobre sua condição financeira? Disse ainda que se tratava de uma zombaria com o judiciário, sem admitir que a não observância ao detalhe processual foi do autor da representação. Imagina o que ele não faria com as fotos do pobre Bruxo andando de helicóptero ou ao lado de Ferraris?

O prefeito Gustavo merece que sua virtualidade se torne real. Ou seja, nós temos de fato um prefeito virtual, o que aparenta contradição. Gustavo merece ser reeleito prefeito virtual, e para isso merece que seja criada uma Curitiba virtual, só para ele e sua equipe. Um lugar onde as capivaras andam de bicicleta, a Vó Gertrudes ressuscita e não dá informações equivocadas de trânsito e a Prefs permanece sucesso de público e crítica com seu Departamento de Mídias Sociais e Internet.

De multa eu entendo!

*Marcelo Araújo é advogado especialista em trânsito, ex-presidente da Comissão de Trânsito, Transporte e Mobilidade da OAB/PR. Escreve nas terças-feiras para o Blog do Esmael.

Comentários encerrados.