Por Esmael Morais

Justiça analisa pedido de prisão do prefeito de Foz, aliado de Richa, e Câmara inicia cassação

Publicado em 07/07/2016

O desembargador paranaense Márcio Antônio Rocha, do Tribunal Regional Federal — TRF-4, analisa se concede prisão preventiva de Reni. Ele é acusado, pela Operação Pecúlio, de coordenar esquema de corrupção e desvio de recursos públicos.

A Operação Pecúlio já levou mais de 15 integrantes da sua equipe do prefeito iguaçuense à prisão, e provocou o indiciamento de 85 pessoas, entre secretários municipais, funcionários da Prefeitura e empresários.

Se escapar da prisão, Reni pode cair nas garras dos vereadores. Até antigos aliados já estariam mudando de posição na Câmara.

Se for cassado, Reni Pereira pode dedurar os vereadores que recebiam benesses para aprovar projetos do interesse da sua gestão.

Abaixo, veja os documentos com o pedido da prisão preventiva e memorando do esquema na Prefeitura de Foz do Iguaçu:

Preventiva:

http://www.esmaelmorais.com.br/wp-content/uploads/2016/07/PREVENTIVA-PF-JF.pdf

Grampo:

http://www.esmaelmorais.com.br/wp-content/uploads/2016/07/GRAMPO-PF-JF-2.pdf