Governo estuda quebrar sindicatos para facilitar retirada de direitos dos trabalhadores

trabalhadores_fora_temerAntevendo dificuldades para tirar direitos trabalhistas, o governo golpista de Michel Temer (PMDB) planeja, antes, quebrar a espinha dorsal da resistência à retirada de direitos dos trabalhadores: os sindicatos, as federações, as confederações e as centrais sindicais.

Paralelamente à quebra do sistema sindical, os golpistas pretendem enviar até o final deste ano ao Congresso as seguintes propostas: 1- flexibilizar a CLT, isto é, impor a negociação ao invés do legislado; 2- regulamentar a terceirização para todas as atividades (já está no Senado); e 3- transformação do PPE (Programa de Proteção ao Emprego) em algo permanente, ou seja, reduzir jornada e salário em até 30%.

Sem a resistência dos sindicatos e sem a proteção da CLT, o governo golpista quer pôr os trabalhadores negociando diretamente com os patrões. Nessa relação desigual, muito provavelmente as férias seriam reduzidas de 30 para 15 dias e a jornada de trabalho seria aumentada para 80 horas semanais, como defendem os escravocratas do Sistema S.

Está mais do que na hora chamar a grande greve geral de todos os trabalhadores brasileiros, contra o golpe de Estado, pelos direitos e pela democracia.

Comentários encerrados.