Em editorial, Estadão declara guerra contra os direitos dos trabalhadores do Brasil

estadao_centrais_temerA velha mídia já definiu que estará do lado dos patrões e dos golpistas na luta pela retirada dos direitos trabalhistas. Em asqueroso editorial, o Estadão ataca nesta sexta (29) o sistema sindical, que desenha resistência unitária à “ponte do futuro” do interino Michel Temer (PMDB).

São atrasos nas aposentadorias com o aumento da idade mínima, fim da CLT, ameaça à política de reajuste no salário mínimo, enfim, pauta que só será vitoriosa se for quebrada a espinha dorsal de proteção dos trabalhadores: os sindicatos, as federações e as centrais.

Tal ataque de Estadão e outras mídias chapa-branca, além de puxar o saco de Temer e defender o golpe, tem como objetivo justamente a luta por uma boquinha publicitária.

Aliás, quando o Estadão e a mídia golpista escreverão um editorial para desancar as contribuições sindicais — também pagas pelos trabalhadores — para o luxuoso Sistema S? Como podem os trabalhadores subsidiar a farra de quem os açoita?

Abaixo, leia a íntegra do editorial:

A luta pela boquinha sindical
sexta-feira, 29 de julho de 2016
Editorial, Estadão

Quando se trata de atravancar qualquer iniciativa que possa significar a modernização e a racionalização das relações de trabalho, os chefões dos sindicatos esquecem até mesmo as mais agudas rivalidades políticas que os separam. Sabem que precisam unir forças para manter inalterada uma situação que confere aos sindicatos um enorme poder e abundantes recursos.

É por essa razão que as principais centrais sindicais do País começam a se organizar para, em conjunto, impedir que o governo do presidente em exercício Michel Temer leve adiante uma necessária reforma trabalhista. A mais recente adesão a esse movimento é a da Central Única dos Trabalhadores (CUT), braço sindical do PT.

O presidente da CUT, Vagner Freitas, informou que, depois que o processo de impeachment for encerrado, engrossará as fileiras dos que pretendem “negociar” com o governo os termos da reforma – em outras palavras, pressionar o Planalto, sob ameaça de infernizar a vida dos brasileiros em geral com greves e piquetes, para manter a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) exatamente como está, como se o País ainda estivesse na década de 40 do século passado.

“Depois que (o impeachment) passar no Senado, nós vamos negociar, com Temer ou com Dilma”, informou Freitas, segundo o jornal Valor. Pode-se dizer que tal disposição – ainda que o verbo “negociar”, na boca dos capi da CUT, frequentemente tenha o mesmo sentido que “chantagear” – é uma mudança significativa em relação às atitudes dos sindicalistas do PT até aqui. Em primeiro lugar, o líder da CUT admite conversar com Temer, cujo governo a central diz considerar “ilegítimo” e contra quem Vagner Freitas havia prometido mobilizar os trabalhadores para “ir para as ruas entrincheirados, com armas na mão”, caso o impeachment avançasse. Agora, ao aceitar “negociar” com Temer, Freitas sinaliza que a CUT reconhecerá o governo do peemedebista, abandonando, na prática, a patacoada segundo a qual está em curso um “golpe” contra a presidente Dilma Rousseff.

No entanto, o que poderia ser sintoma de amadurecimento da CUT nada mais é do que o recorrente oportunismo sindical. Diante da constatação de que as demais centrais sindicais já estão na mesa de negociação com Temer há algum tempo, a CUT parece ter percebido que ficaria isolada, sem nenhuma influência sobre os desdobramentos desse processo, restando-lhe a patética defesa de Dilma, por quem, aliás, os sindicalistas do PT jamais morreram de amores.

Nos cálculos da CUT, portanto, a eventual lealdade que a central ainda pudesse nutrir em relação à governante petista foi preterida pelo mister de preservar seu poder. E isso implica juntar-se a velhos rivais, especialmente a Força Sindical, com quem a CUT disputa espaço desde os anos 90, quase sempre em campos políticos opostos.

Agora mesmo, enquanto a CUT jurava defender Dilma com unhas e dentes, a Força Sindical alinhava-se a Temer. Mas, sendo esse o sindicalismo de resultados, nem tudo é tão simples. Do mesmo modo que a CUT começa a abandonar Dilma, o apoio da Força Sindical a Temer muitas vezes se assemelha a oposição, com direito inclusive a ameaças de greve geral.

Tudo isso porque o governo Temer pretende encaminhar ao Congresso uma proposta de reforma que atualize a CLT, para fazer a legislação acompanhar a modernização tecnológica, que alterou as relações de trabalho, e privilegiar o negociado em relação ao legislado, fortalecendo a negociação coletiva e permitindo que cada setor produtivo encontre as melhores soluções para cada caso.

É claro que uma reforma assim, se levada adiante, pode representar risco para o poder quase imperial que as centrais sindicais exercem sobre o mercado de trabalho. Para essa turma, pouco importa se as mudanças visam a criar mais empregos, pois a preocupação dos sindicatos não é com os 11 milhões de desempregados atualmente no País, e sim com a manutenção de um sistema que lhes dá o monopólio da negociação trabalhista e é sustentado, na marra, pelos assalariados, gente que, ao contrário dos sindicalistas, tem de trabalhar para viver.

27 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. parabéns pelo site, ficou muito bom

    Conheça o leadlovers, a melhor plataforma de e-mail markting até agora,..

    Uma ferramenta completa que já tem tudo completo, e-mails personalizados e paginas de capturas prontas. e muito mais

    Clique no meu nome acima para conhecer a Leadlovers

  2. Esse jornaleco que pretende denunciar suposta boquinha sindical esconde que ele só sobreviveu durante todos esses anos por causa da boquinha das verbas públicas via BNDES a que ele tinha acesso. Graças a deus que esse jornaleco em breve deixará de espalhar sua nefasta linha editorial.

  3. Sindicatos e associações, são necessários na defesa coletiva dos seus associados. São de vital interesse na defesa e na manutenção da democracia de um país. Mede-se a fortaleza das instituições democráticas de uma nação, pela liberdade de informação e pela liberdade de organização sindical. Se há um, ou alguns pecados nas organizações sindicais, isso não tira a legitimidade e o mérito deles.

  4. A louca Apartidária querendo sempre ficar em evidência! Você não trabalha? O Esmael mal termina de postar a matéria, a Apartidária já vem com comentários sem nexo!
    Acabei de chegar em casa agora! Estava trabalhando! Tenho um monte de roupas para lavar! Pena que está um tempo típico da capital do povo gelado, caso contrário, iria te convidar para lavá-las! Se quiser, te empresto uns livros, ou até mesmo posso comprar um para te dar. Só assim, ocupará um pouco dessa tua mente com algo útil!

    Ainda fica criticando os ‘pelegos’. E você, como se classifica? ‘pelego digital’?

    • Lógico que trabalha. Coçando o saco do chefinho. Aposto que se perder esse emprego a pessoa vai o que? Pois não deve saber fazer mais nada da vida.

  5. PIG maldito tentando desacreditar os sindicatos.
    Porque o Temer maldito apresentou o PL 257/2016 e o PEC 241/2016, que destroem as carreiras dos servidores civis e militares federais, estaduais e municipais. E acaba com os serviços públicos.

  6. Esses jornalecos são dependentes de quem para se manter. Só essa semana recebi ligação da folha , da gazeta e da veja. Implorando para que eu seja assinante…kkkkk, que piada.

  7. o lula e mais poderoso q o ali baba. o ali baba tinha so quarenta ladroes. o lula tem mais de cem. o ali baba morava no mato o lula queria morar nu triplex…….ha ha ha ha

  8. Tratar o “Estadão” da forma pejorativa como a demonstrada por este blog é ter a certeza de estar do lado errado da história. O “Estadão” foi o único jornal de circulação nacional a ser objetivamente contra a censura jornalistica imposta pelo AI-5. Recomendo aos autores deste blog que meçam com cuidado as palavras que impingem àqueles que trabalham para levar a notícia aos brasileiros.

    • Cara, você está querendo demais já, pois este blog só vai elogiar um veículo de comunicação, seja qual for, quando este divulgar alguma matéria falando mal do juiz Sérgio Moro, ou ainda, alguma matéria enaltecendo as ações de Lula e Dilma enquanto presidentes. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      De resto continua tudo igual, o blog bate dia e noite em quem faz oposição a corrupção, denigre a imagem de quem ousa elogiar quem quer meter em cana os corruPTos e por aí vai.

    • IgNóbil, você não conhece a verdadeira história do Estadão. Esse jornal (que já já vai estar no fundo de uma cova depois de passar pela vala do golpismo) apoiou a ditadura militar no início. Só anos depois que ele passou a protestar contra a censura publicando receitas de cozinha. É claro que muitos dos leitores do Estadão nem sabiam disso. Mas o Estadão de hoje é pior do que aquele que publicava receitas.

  9. Para nós os Coxinhas, essa putaria que virou sindicato deveria ser extinta o mais breve possível, principalmente a tal da APP/PT Sindicato, dirigida por ex candidatos a deputados do PT. Alguém em sã consciência acredita que a APP/PT defende o trabalhador???? Acham mesmo que o movimento sindicalista desse braço do PT não serve simplesmente para agradar ao partido e não aos filiados????

    CHOREM DIABEDO, MAS CHOREM MUITO POIS OS DIAS DE GLÓRIA SEM TRABALHO DURO VAI ACABAR EM BREVE E VOCÊS TERÃO QUE TRABALHAR PARA SOBREVIVER!!!

    • Apoiado, APP – Analfabetos, Podres, Picaretas

      • As viúvas da ditadura que conheço expressam o mesmo sentimento seu. Um dos sindicatos (na época era apenas associação) que tiveram coragem de enfrentar a ditadura com greves trabalhistas foi exatamente a APP. Assim compreendo seu ódio pela APP.

  10. Tem que acabar com esses sindicatos e seus dirigentes pelegos.

    • Apartidário..ao meu ver pelego é você. Que provavelmente, neste momento, está de quatro para que seu patrão mercenário fique sentadinho te dando ordens. Para um cidadão com uma metalidade igual a sua (e de outros comentários seu) só me resta imaginar isso…é digno de pena.

  11. Já passou da hora de acabar de uma vez por todas com os sindicatos pelegos, não estou dizendo que os SINDICATOS precisam acabar, mas sim os que são atrelados a partidos políticos como os filiados a CUT, todos braços pelegos do PT!!!!

    Acabando com estes sindicatos, o Brasil estará forçando esse bando de vagabundos que vivem uma vida inteira pendurado na diretoria dos mesmos a trabalhar, e olha que suor do trabalho de sindicalista pode até curar Câncer (estudos comprovam). kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    • Sindicato pelego é o que se vendeu aos patrões, como a força sindical, mas coxinha gosta de distorcer tudo.
      Como um partido de latifundiários escravocratas que vive mudando de nome confiando no desconhecimento da população ou criando partido com membros que de solidariedade só com grupos de extermínio, fora os “limpinhos” que de popular socialista não tem nada. Nem vou comentar o fundamentalistas… #foratemer

    • O seu raciocínio vale só para os sindicatos da CUT que você afirma (mas não é verdade absoluta) estar vinculado ao PT ou você defende que os sindicatos e, principalmente, as federações da indústria e do comércio que são atrelados aos interesses do PSDB, do DEM e do golpismo também devem ser extintos? Quanto a mim, defendo a democracia com sindicatos livres para defender os interesses dos trabalhadores e se unirem a partidos que apresentem propostas a favor da classe trabalhadora. E, se precisar, que decidam as questões no pau!

      • Já apareceram dois dependentes do PT e de seus carguinhos!!! kkkkkkkkkkkkkkkk

        Cadê os outros????

        • Carguinho que carguinho
          quem teme pelos cargões re rola do patrão playboy são vcs comissionados e puxa sacos do patrão e dos coxinhas

        • Ô Olho Morto! Se você acredita que sou dependente do PT e de algum carguinho, pode tirar seu cavalinho da chuva. Pra seu governo, eu nunca dependi de partido político, nunca exerci cargo comissionado e, se você me conhecesse, saberia que eu comecei a ganhar o meu dinheiro com 13 anos. E, se você tiver mais de três neurônios, entenderá que eu respeito sua opinião de que sindicatos sejam autônomos mas você só terá meu crédito se isso valer para todo o espectro ideológico. Acho hipócrita o babaca que quer ver a CUT longe do PT mas bate palmas pra Fiesp e a Fiep se aliarem e financiarem os fascistas golpistas.

    • JÁ PASSOU DA HORA DE EXTINGUIR EM DEFINITIVO OS CARGOS COMISSIONADOS NO PAÍS, SANGUE SUGAS DO BRASIL.

    • Tu só vai valorizar o sindicato quando estiver com teu salário desvalorizado e teu patrão ameaçar te demitir se for negociar aumento

  12. A única solução possível é dar um reset geral na Economia, na Política, na
    Administração, e no Direito no País.
    Dialogar com Dilma ou Temer, é o mesmo diálogo do pescoço com a
    guilhotina.
    É só ferro nos trabalhadores, sejam empregados ou empreendedores,
    especialmente os empreendedores micros, pequenos, e médios, que são
    quem responde pelo grosso da mão de obra empregada no país.
    Essa flexibilização e terceirização, interessa em especial às grandes, hiper,
    e mega organizações empresariais, que em proporção ao seu faturamento,
    empregam pouca mão de obra, e na sua maior parte, média, ou altamente
    especializada.
    Já os sindicatos, federações, e centrais de trabalhadores, que estavam
    dormindo e mamando em berço esplêndido, por essa via torta, e pela
    contramão, tiveram que empunhar novamente a bandeira sindicalista,
    até como forma de sobrevivência.
    Do jeito que está, reset será dado pela caserna, que acabará ditando as
    novas regras.
    Esses 41,43% dados a uma casta de funcionários públicos abastados do
    judiciário, aponta para esta solução.