Em baixa nas pesquisas, Temer busca o filho na escola para tentar alavancar popularidade

temer_escolaA maioria dos brasileiros querem que o interino Michel Temer (PMDB) caia fora já. Pesquisas de opinião (Datafolha não vale) apontam que até 70% rejeitam o golpista. É aí que entra em cena Michelzinho, o filho usado para angariar alguns pontinhos na popularidade. Um horror, digno de ECA – Estatuto da Criança e do Adolescente.

Levantamentos de vários institutos — Ipsos e Paraná Pesquisas, por exemplo — dizem que há mais gente querendo a volta da presidente eleita Dilma Rousseff dos que querem que Temer fique. Daí vem o desespero do interino, que apelou hoje ao buscar o filho numa escola de rico em Brasília.

Evidente que Temer pode e deve levar ou buscar o filho na escola, afinal não existe um canalha 100%. O que se discute, no entanto, foi a convocação da imprensa para um ato que deveria ser corriqueiro na vida de um pai.

Leia a matéria sobre o caso da Agência Brasil:

Temer muda rotina de escola ao buscar filho no primeiro dia de aula

O presidente interino Michel Temer mudou sua rotina hoje (26) ao buscar o filho, que também se chama Michel Temer, no primeiro dia de aula.

Acompanhado da mulher, Marcela, que há três semanas se mudou para Brasília, Temer chegou pouco antes dos estudantes serem liberados na Escola das Nações, um colégio bilíngue localizado no Lago Sul, bairro nobre da capital federal.

A visita do presidente interino foi divulgada pela assessoria de comunicação do Palácio do Planalto, e, com isso, muitos profissionais da imprensa estiveram no local. Além de Temer e de Marcela, outros pais e familiares entravam e saíam da escola.

A mãe de um dos alunos se queixou da presença de muitos repórteres e da exposição excessiva. “Eles são crianças”, disse, ao reclamar de cinegrafistas que a filmavam.

O filho de Temer tem sete anos e está no 2º ano. O presidente interino esperou durante dez minutos a saída do filho e indicou as câmeras para ele. Ao ser questionado por jornalistas se faria o trajeto todos os dias, Temer respondeu que seria só hoje, por se tratar do primeiro dia de aula. Antes, a família morava em São Paulo.

Desde que assumiu o poder, em maio, com o afastamento de Dilma Rousseff, o presidente interino tem buscado se aproximar da população, inclusive divulgando vídeos nas redes sociais.

Nesta terça-feira, por exemplo, ele publicará uma gravação na qual comenta a violência contra a mulher por conta dos dez anos da Lei Maria da Penha, que se completam em agosto.

Comentários encerrados.