Beto Richa utiliza TV estatal para fazer concorrência a Globo no Paraná

richa_tve_globoO governador Beto Richa (PSDB) lança nesta quarta-feira (6), em Curitiba, um novo e audacioso plano publicitário que já começou a tirar o sono da Globo, SBT, Record e Band no Paraná.

O tucano apresenta na noite de hoje às agências de propaganda, a partir das 19 horas, uma parceria da e-Paraná (Rádio e Televisão Educativa do Paraná) com a TV Cultura (Fundação Padre Anchieta).

Richa quer fazer da e-Paraná uma espécie de EBC (Empresa Brasil de Comunicação), bastião de resistência ao monopólio midiático no estado.

O evento desta noite, no Museu Oscar Niemeyer (MON), selará a parceria técnica-institucional com a presença de Marcos Mendonça, presidente da TV Cultura – Fundação Padre Anchieta, e de Sérgio Kobayashi, presidente da e-Paraná.

O secretário de Comunicação Social do Paraná, Márcio Villela, que é “tio-torto” de Richa, segundo informações do Palácio Iguaçu, “trabalha por uma TV educativa forte, pujante e que cumpra seu papel junto à sociedade”.

De olho no mercado publicitário paranaense, o diretor de Programação e Marketing da TV Cultura, Marcos Amazonas, irá apresentar um vídeo com a programação da TV e falar um pouco sobre o papel das TV Educativas no país. E a e-Paraná apresentará outro vídeo com a programação local, bem como os resultados na gestão Kobayashi.

O evento é direcionado às agências de publicidade, aos empresários, aos artistas, à imprensa, aos grupos de mídia, planejamento e criatividade das agências, ao mercado.

O diabo é que o avanço do governo estado nos parcos anunciantes deverá causar urticária na blogueira Ana Amélia Cunha Pereira, que comanda o grupo Gazeta do Povo/RPC TV (afiliada da Globo).

A ideia de Beto Richa é dar um grito de independência, em relação à velha mídia. Por isso, o tucano iniciará um trabalho de apoio institucional à TV Educativa. O projeto consiste em buscar outras fontes de financiamento que não sejam as do governo, ou seja, competir diretamente no mercado com as emissoras privadas.

De acordo com uma fonte no Palácio Iguaçu, a proposta também tem como objetivo viabilizar e aproximar marcas e empresas para investir na TV Educativa do Paraná. “Isso significa investir na arte, na cultura, na educação, no cidadão. Este é nosso papel”, explicou.

“Tabela de preços da Educativa foi definida por ele, Sérgio Kobayashi, Luiz Abi e Mauro Ricardo”, ironizou um deputado da oposição na Assembleia Legislativa do Paraná, referindo-se, obviamente, ao presidente da e-Paraná, ao primo do governador e ao secretário da Fazenda, respectivamente.

Comentários encerrados.