Veja transforma chefe interino da Casa Civil em “Eliseu Quadrilha”

temer_padilha_vejaPelo jeito, será triplo o próximo paredão do “Big Golpe Brasil”, que eliminará mais um ministro de Michel Temer (PMDB). O mais cotado para ser defenestrado é o chefe interino da Casa Civil “Eliseu Quadrilha“. É assim que a edição desta semana da revista Veja denomina o número um do governo provisório.

Além Quadrilha, ops, Padilha, também estão no paredão Big Golpe os ministros Mendonça Filho (Educação) e Geddel Vieira Lima (Governo). Três já foram eliminados em um mês: Romero Jucá (Planejamento), Fabiano Silveira (Transparência) e Henrique Eduardo Alves (Turismo).

Abaixo, leia matéria no Brasil 247:

247 – O governo interino de Michel Temer não vem tendo vida fácil nem mesmo nos meios de comunicação que se engajaram no golpe parlamentar contra a presidente Dilma Rousseff.

Enquanto O Globo mira Mendonça Filho, a revista Veja aponta mais alto e denuncia o chefe da Casa Civil de Temer, Eliseu Padilha.

Na reportagem “Ecos de Quadrilha”, faz-se até uma discreta alusão ao antigo apelido de Padilha, que era chamado de Eliseu Quadrilha, nos tempos do governo FHC.

Assinada pelo repórter Hugo Marques, a matéria traz um diálogo em que um empreiteiro gaúcho chamado Marco Camino sugere o pagamento de propinas ao próprio Padilha.

“Vai ser viabilizado 100, tá? Sendo a metade semana que vem, tá bom?”, diz o empreiteiro a Padilha, num grampo interceptado pela Polícia Federal.

Se isso não bastasse, o Ministério Público Federal bloqueou seus bens e pediu a restituição de R$ 300 mil por empregar funcionário-fantasma.

Comentários encerrados.