Tucano relator do impeachment de Dilma recebeu propina em Minas

jorge_bernardi_antonio_anastasia

Jorge Bernardi (REDE), em sua coluna deste sábado (4), observa que as delações em crimes do colarinho branco são demais seletivas. Ele lembra que o primeiro grande delator da Lava Jato, Alberto Youssef, protegeu alguns políticos do Paraná. Segundo o colunista, até mesmo as gravações do ex-senador Sérgio Machado (PSDB), bem como os executivos da Odebrecht e OAS, foram seletiva porque também protegem políticos em suas delações. Dentre as delações mais graves, que não prosperaram, ainda de acordo com Bernardi, é aquela contra o ex-governador e Minas e atual senador Antonio Anastasia (PSDB). “O doleiro Alberto Youssef chegou a entregar o senador Anastasia, relator do processo de impeachment da Presidenta Dilma, como beneficiário de uma propina de R$ 1 milhão de reais. A denúncia não foi em frente”, registra. Abaixo, leia, ouça, comente e compartilhe o texto:

Download do áudio

Delações seletivas em crimes do colarinho branco

Jorge Bernardi*

Embora muita sujeira já tenha sido revelada com as delações premiadas nas diversas operações da Polícia Federal e do Gaeco no Paraná, não há dúvidas de que grande parte delas são seletivas, ou seja, não revelam toda a verdade. Alguns personagens envolvidos em crimes do colarinho branco são protegidos pelos delatores.

O primeiro grande delator, Alberto Youssef, que desencadeou uma verdadeira revolução na Operação Lava Jato, revelando o nome de grandes empreiteiros e políticos envolvidos em crimes de corrupção, segundo opinião de especialistas em política paranaense, protegeu alguns políticos daqui. Portanto ele não disse toda a verdade e estes atores continuam desempenhando seus papeis na política local e nacional com grande desenvoltura.

As conversas gravadas pelo ex-senador Sergio Machado com o presidente do Senado Renan Calheiros, o ex-presidente José Sarney e o senador Romero Jucá, revelam os bastidores da política brasileira.

Os áudios trazem revelações das possíveis delações dos megaempreiteiros Marcelo Odebrecht, presidente da Odebrecht, e o Leo Pinheiro, presidente da OAS, que farão delações seletivas, protegendo alguns envolvidos.

Revelamos nesta coluna que, em 2007, no segundo governo de Aécio Neves, em Minas Gerais, foi construído o Centro Administrativo daquele estado. A obra, orçada inicialmente em 900 milhões de reais, quando concluída custou R$ 1,7 bilhão e, atualizada em valores de hoje, ultrapassa R$ 2,5 bilhões. O doleiro Alberto Youssef chegou a entregar o senador Anastasia, relator do processo de impeachment da Presidenta Dilma, como beneficiários de uma propina de R$ 1 milhão de reais. A denúncia não foi em frente.

O surpreendente nesta obra é que seis, das nove empresas que participaram da construção, nos três consórcios, estão envolvidas na Lava Jato: Camargo Correia, OAS, Mendes Junior, Queiroz Galvão, Andrade Gutierrez e Odebrecht.

Na época o Ministério Público mineiro chegou a fazer uma investigação sobre formação de cartel, que não deu em nada. Muitos executivos destas empreiteiras já fizeram delações premiadas e não revelaram nada a respeito dos bastidores desta que foi considerada a maior obra de engenharia civil da América do Sul.

Aguarda-se ansiosamente as delações de Marcelo Odebrecht e de Leo Pinheiro, principais executivos de duas das maiores empreiteiras do Brasil. Será que eles revelarão tudo, não deixando pedra sobre pedra, ou farão delações seletivas levando para o inferno alguns, e deixando o céu para outros? Vamos esperar.

*Jorge Bernardi, vereador de Curitiba pela REDE, é advogado e jornalista. Mestre e doutorando em gestão urbana, ele escreve aos sábados no Blog do Esmael.

7 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. I just want to mention I am just beginner to blogs and certainly loved this blog. Likely I’m likely to bookmark your site . You definitely have great writings. Thanks a lot for revealing your blog site.

  2. Vocês aí da esquerdopatia inveterada, não se preocupem pois a Dilma não voltará, o PT será extinto por conta do foro de São Paulo e Lula e Dilma e muitos outros da quadrilha serão presos.

    Isto porá um ponto final em uma das mais tenebrosas páginas de nossa história, que já não tem de bom para contar nos próximos séculos, exceto os mal feitos dos Petralhas. Até os militares foram muito mais superiores do que os pelegos dos Castros e Guevara.

    Se há uma unanimidade hoje entre a gigantesca imensa maioria dos brasileiros, é que o Brasil saiu-se muito mal desta péssima, corrupta, danosa, maquiavélica, catastrófica e desgraçada gestão petista, que não teve competência para gerir a herança bendita do plano real, este que fora a maior das reformas porque o país tinha que passar.

    Quanto ao governo Temer vamos torcer para que ele, embora esteja longe de ser um Itamar Franco, encontre o caminho da saída do labirinto em que nos meteram os sórdidos comunas.

    Se o TSE, única via que pode tirá-lo por força da lei do governo, julgar necessário, aí teremos novas eleições e o jogo estará aberto, para os eventuais elegíveis, que se Deus é brasileiro, não permitirá que o Lula não seja um destes pois já estará vendo o sol nascer quadrado.

    Aguardando os próximos eventos.

  3. Uai, sô! Cadê meu comentário?

  4. Este site do Esmael, é mais um dos blogueiros chapa branca ou estou enganado? A boquinha já está secand ou melhor, já secou!!!

  5. Esse e fiel escudeiro( cupincha) do derrotado inconformado Aécio, todos golpistas.

  6. Estão esperando/conspirando, alguma ARMACAO em tornar DILMA E LULA INELEGIVEIS. A partir dai trabalharam para ARQUIVAR A LAVA-JATO. MAS ANTES CASSAR O GOVERNO DILMA. FORA GOLPISTAS E MIDIA.

  7. este é um pilantra de gravata