Sob Temer e Lava Jato, desigualdade entre pobres e ricos voltou a disparar no Brasil

fora_temer_desempregoO fosso entre pobres e ricos aumentou, segundo levantamento da USP, que utilizou dados do IBGE. A acentuação se deu nos 40 dias do interino Michel Temer (PMDB).

O estudo se deu no primeiro trimestre deste ano, que atribui ao desemprego a concentração de renda no país, conforme capa do jornal Folha de S. Paulo.

A distância entre os que ganham muito e os que pouco ganham tende a aumentar ainda nos próximos meses, pois Temer concedeu reajuste para servidores do judiciário e do legislativo que estão entre os 1% dos mais ricos.

Nos últimos dias, especialistas buscam respostas para justificar a crise de desemprego.

Reportagem do Estadão, por exemplo, colocou na conta do juiz federal Sérgio Moro, da Lava Jato, a produção de 1 milhão de desempregados e o aumento de miseráveis.

O deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB), líder do governo na Assembleia Legislativa e ex-secretário de Estado do Trabalho no Paraná, em artigo publicado nesta segunda-feira (20), no Blog do Esmael, afirma que “os bilhões recuperados são irrelevantes diante do caos econômico provocado pela operação Lava Jato“.

Comentários encerrados.