Secretária de Temer integra “articulação criminosa”, diz Ministério Público Federal

fatima_pelaes_gazetaO presidente interino Michel Temer (PMDB) escolheu uma integrante de “articulação criminosa” para a Secretaria da Mulher. É o que o Ministério Público Federal diz da ex-deputada Fátima Pelaes (PMDB-AP), acusada de participar no desvio de R$ 4 milhões de suas emendas parlamentares.

Palaes ainda não assumiu oficialmente a Secretaria de Políticas para as Mulheres, embora ela já frequente o Palácio do Planalto e participe de reuniões com Temer — aquele mesmo que disse estar acostumado a lidar com “bandidos”.

A futura secretária foi citada num esquema desmantelado pela Operação Voucher, em 2011, cujos detalhes foram relatados pela Procuradoria Geral da República. A maracutaia consistia na contratação de uma ONG fantasma por meio de contrato celebrado com o Ministério do Turismo.

De acordo com o procurador-geral de 2012, Roberto Gurgel, “toda essa articulação criminosa contou com a participação da deputada federal Fátima Pelaes, que constantemente se reunia com servidores do Ministério do Turismo para agilizar a liberação das verbas do convênio”.

O ex-procurador ainda diz no documento que “é razoável supor que o objeto inicial da celebração do convênio era o desvio e a apropriação dos R$ 4 milhões”.

A cada dia que passa, vai aumentando a sensação no país de que esse “sindicato de ladrões” está dando o troco na presidente eleita Dilma Rousseff porque ela interrompeu seus lucrativos esquemas. Não são poucos! São vários integrantes do governo golpista.

Com informações da Folha de S. Paulo.

Comentários encerrados.