Fundo Iguaçu defende alíquota menor de ICMS para querosene de aviação

Passageiro2Milhoes_Aeroporto

Passageiro2Milhoes_Aeroporto

O Fundo de Desenvolvimento e Promoção Turistica do Iguaçu (Fundo Iguaçu) está em campanha para que o governo do Estado reveja o aumento do ICMS do querosene de aviação no Paraná. Desde o ano passado, a alíquota saltou de 7% para 18%, o que fez com que as empresas aéreas revissem seus planos de expansão no Estado e até cancelassem alguns voos, prejudicando as ligações entre Foz do Iguaçu, Londrina, Maringá e Cascavel com Curitiba.

A proposta de criação de um regime especial temporário, com tarifas reduzidas, foi apresentada para o secretário da Fazenda do Estado do Paraná, Mauro Ricardo Costa, pelo secretário-geral do Codefoz e vice-presidente do Fundo Iguaçu, Gilmar Piolla. A proposta consiste no estímulo a voos dentro do próprio Estado.

As companhias aéreas que mantêm voos para um número de três a cinco cidades paranaenses teriam a alíquota reduzida de 18% para 12%. As companhias que voarem para seis cidades ou mais pagariam somente 7%.

As empresas aéreas teriam ainda descontos progressivos na alíquota de ICMS para manter as demais rotas, interestaduais e internacionais.

Comentários encerrados.