Dilma convoca plebiscito para novas eleições e sepulta golpe de Estado

dilma_rousseff_tv_brasil

A presidente eleita Dilma Rousseff defendeu nesta quinta-feira (9) à noite, em entrevista ao jornalista Luís Nassif, na TV Brasil, a realização de um plebiscito para que a população decida sobre a realização ou não de novas eleições presidenciais. A proposta seria uma alternativa ao impeachment no Senado, que ontem também foi detalhada pelos senadores Roberto Requião (PMDB-PR) e Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) no plenário. A repercussão e a audiência da entrevista de Dilma na TV Brasil, pode ser medida pelo Twitter: 1º no Trends Brasil e 3º no Mundial.

Na terça (7), Requião reuniu num jantar 30 senadores contrários ao impeachment de Dilma em caso de realização de plebiscito. Para sepultar o golpe no Senado seriam necessários 27 votos dois 81 possíveis.

O placar em 12 de maio, na sessão que aprovou a admissibilidade do processo, foi de 55 favoráveis, 22 contrários, 3 ausências e um não votou.

Abaixo, leia matéria da Agência Brasil sobre a questão:

Dilma defende consulta para que população decida se quer novas eleições

A presidenta afastada Dilma Rousseff defendeu hoje (9), em entrevista especial concedida à TV Brasil, uma consulta popular caso o Senado não decida pelo seu impedimento. Ao apresentador Luís Nassif, Dilma disse que é a população que tem que dizer se quer a continuidade de seu governo ou a realização de novas eleições. “O pacto que vinha desde a Constituição de 1988 foi rompido e não acredito que se recomponha esse pacto dentro de gabinete. Acredito que a população seja consultada”, disse.

Para ela, o país não conseguirá superar a crise com o governo interino. Dilma acredita que o povo não terá confiança no comando de Temer pelo fato de ele não ter passado pelo crivo das urnas. “Como você acha que alguém vai acreditar que os contratos serão mantidos se o maior contrato do país, que são as eleições, foi rompido?”, indagou. “Não acho possível fazer pacto nenhum com o governo Temer em exercício”, completou.

Dilma criticou uma vez mais a admissibilidade do processo de afastamento usando como o argumento o fato de que, embora a Constituição preveja o impeachment, ela também estipula que é preciso haver crime para que se categorize o impedimento. “Não é possível dar um jeitinho e forçar um pouquinho e tornar esse artigo elástico e qualificar como crime aquilo que não é crime. Os presidentes que me antecederam fizeram mais decretos do que eu. O senhor Fernando Henrique [Cardoso] fez entre 23 e 30 decretos do mesmo tipo”, disse, referindo-se aos decretos de suplementação orçamentária que embasaram o pedido de impeachment feito pelos advogados Hélio Bicudo, Miguel Reale Jr. e Janaína Pascoal.

“Não é o meu mandato, mas as consequências que tem sobre a democracia brasileira tirar um mandato. Isso não afeta só a Presidência da República, afeta todos os Poderes”, disse ela.

Dilma disse que reivindica voltar ao posto por compreender que não cometeu crime. Ela criticou os que defendem um semiparlamentarismo, ou eleição indireta, por considerar que isso traria um grande risco ao país. A presidenta afastada defendeu que haja uma reforma política que discuta o tema. “Não temos que acabar com o presidencialismo, temos que criar as condições pela reforma política”.

Nesse contexto, ela defendeu novamente a consulta popular. “Só a consulta popular para lavar e enxaguar essa lambança que está sendo o governo Temer”. Segundo ela, nos momentos de crise pelo qual o Brasil passou, na história da democracia recente, foi com o presidencialismo que o país superou as crises. “Foi sempre através do presidencialismo que o país conseguiu dar passos em direção à modernidade e à inclusão”.

Eduardo Cunha

Para Dilma, no final do seu primeiro mandato, começou a se desenhar, especialmente na Câmara dos Deputados, um movimento político “do centro para a direita”, com o surgimento de pautas conservadoras, processo, segundo ela, comandado pelo então líder do PMDB e hoje presidente afastado da Casa, Eduardo Cunha (RJ). “Ele é o líder da direita no centro. O processo culmina na eleição dele”, disse.

Com a ascensão de Cunha à presidência da Câmara, a interlocução do governo com o Casa ficou inviabilizada, de acordo com ela, porque o peemedebista tem “pauta própria”. “O grande problema de compor com o Eduardo Cunha é que ele tem pauta própria. No momento em que o centro passa ter pauta própria, uma pauta conservadora, a negociação fica difícil”. Dilma voltou a defender a tese de que o peemedebista acatou a denúncia dos advogados contra ela em retaliação ao fato de o PT não ter se comprometido a votar, no Conselho de Ética, contra a abertura do processo de cassação do mandato de Cunha.

“Atribui-se a mim não querer conversar com parlamentares. Agora, não tem negociação com certo tipo de práticas. Quando começa o aumento da investigação que a Procuradoria-Geral da República faz sobre ele [Cunha], qual a reação dele? Ou você me dá três votos ou eu aceito a questão do impeachment. E a imprensa relata. Trata-se de uma chantagem explícita.”

Política externa

A presidenta afastada também criticou as ações tomadas pelo ministro das Relações Exteriores, José Serra, em relação a alguns países vizinhos. Ela defendeu a aproximação do Brasil com países da região e com a África, iniciada no governo Lula e mantida na sua gestão. “Fomos capazes de refazer nossas relações com a América Latina e com a África. Ter uma visão de fechar embaixada é ter uma visão minúscula da política externa”.

Lava Jato

Perguntada sobre a Operação Lava Jato e os casos de corrupção deflagrados no país recentemente com a ação da Polícia Federal e do Ministério Público, Dilma que disse que o grande problema da corrupção é o controle privado que se faz das verbas do Estado. “Não se pode fazer a escandalização de investigações sobre o crime de corrupção. O que tem que se fazer é, doa a quem doer, investigar e punir. Quando for as empresas é aplicar multas. Há uma hipocrisia imensa em relação a essa questão das investigações”.

Celso Kamura

Sobre as denúncias de que teve despesas com cabeleireiro pagas com dinheiro de propina, Dilma disse ter comprovantes de todas gastos que teve com o cabeleireiro Celso Kamura e a cabeleireira particular que a acompanha até hoje.

Dilma contou que conheceu Kamura após o fim do tratamento a que se submeteu para combater um linfoma, em 2009, por meio da empresa responsável por sua campanha à presidência. Kamura, segundo ela, a ajudou na fase em que seus cabelos voltaram a crescer. Para ela, esse tipo de acusação é uma tentativa intimidá-la. “Eles não vão me calar porque vão falar do meu cabelo. A sorte é que tenho todos os comprovantes do pagamento, de transporte dele [Kamura] e da minha cabeleireira particular. Também disseram que comprei um teleprompter. Já viu alguém ter um teleprompter pessoal? Para que eu quero um teleprompter? Essa eu achei fantástica”, ironizou, referindo-se ao aparelho usado pelas TVs que mostra o texto a ser falado por apresentadores de telejornais e programas jornalísticos.

Clique aqui para assistir a íntegra da entrevista de Dilma.

27 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. I simply want to tell you that I am just newbie to blogging and truly savored you’re web site. Most likely I’m likely to bookmark your website . You surely have tremendous articles and reviews. Thank you for sharing with us your blog site.

  2. O Sandro está certíssimo! Temer é vice, e está no poder por direito, uma vez q a presidente está afastada. Mudar a data da eleição é anticonstitucional. Para que aja plebiscito, o congresso precisa aprovar, e eles (os que querem o plebiscito) estão em minoria. Não vai acontecer!

  3. Se Dilma lançar um plebiscito para saber se o povo quer novas eleições agora ou término do mandato atual. Eu voto pela segunda opção. Quero que Dilma termine o mandato dela que é legítimo.

  4. Qualquer um sabe que o golpista vai cair igual uma jaca podre.É fraco,recua igual caranguejo.Cercado de mau feitores não vai ter legitimidade nunca.

  5. Revi minha posição e já acho que os movimentos sociais deveriam apoiar o plebiscito por duas razões: a primeira é que se tornou mais importante apear os corruptos selvagens que tomaram o Poder de assalto ilegalmente; a segunda é porquê no plebiscito pretendo votar NÃO a novas eleições e fazer intensa campanha para que a Presidenta Dilma exerça o mandato que lhe foi conferido nas eleições de 2014 para durar até 2018. Ou seja, o plebiscito não impede que continuemos a defender o mandato legítimo de Dilma. Qualquer governante pode ter altos e baixo, é só ler a mídia internacional e ver os índices de aprovação de presidentes como o dos EUA e da França, entre outros, mas em nenhum desses países estão querendo depor seus presidentes legítimos por causa de impopularidade, que pode ser momentânea.

  6. Dilma presidenta.
    Lula 2018.

    • Já votei para Presidente, e somente votarei em qualquer coisa, por ex: Plebiscito
      se a Presidenta do Brasil propor esta mudança

    • Vai sonhando. Se tudo correr bem, a Dilma vai arrumar o resto das malas e vazar de Brasília e o Lula em 2018 estará preso ainda.

  7. Esses tais “manifestontos” são pessoas que não gostam de trabalhar, ficam
    bagunçando a vida alheia e a ordem social, só que o organismo que parasitam
    está entrando em colapso, e se ele falecer, todos morremos.
    Há que se cuidar sério da economia do Brasil, as eleições virão por decurso de
    prazo em 2018, que já não está tão longe assim.
    Enquanto isso, a fermentação política se auto depurará, e surgirão novas
    opções e lideranças mais enquadradas e conscientes de que se prevaricarem,
    sofrerão as consequências e punições inevitáveis.
    Dilma & Lula partem novamente para uma ação temerária, ao desviar o foco
    e a força popular para a política, ao invés de centrá-los na economia e
    trabalho.
    Este Carnaval diabólico que não cessa nunca, com a politicalha, e com os
    manifestantes e “manifestantas” partindo para a arruaça destroçará a
    economia do País.
    É o tipo de coisa que sabe-se como e porque começou, mas nunca se sabe
    como terminará.
    Fica a pergunta: convocadas as eleições, quem serão os candidatos?
    Lula? Dilma poderá ser reeleita? Aécio? Serra? FHC? Ciro? Marina? Renan?
    Temer? Sarney?
    Tenha dó!
    Vamos cuidar da economia, trabalhar, e esperar melhores opções em 2018.
    Escolher quem, no meio desse plantel?
    Metáfora.
    Boa parte dos brasileiros está como aquele cara que está em um bar, no
    domingo à noite, às 11:45hs., sabe que que terá um dia duro na 2ª feira,
    mas pede mais uma rodela de “xaxixo”, e toma mais 3 “martelinhos”.
    Vai pra casa, agride a família, quebra a mobília, dorme urinado, e aí acorda
    no dia seguinte com uma dor de cabeça infernal e vomitando.
    Então dorme até ao meio dia, vai no médico, pede um atestado, chega na
    “firma” às 15:00hs, e é despedido ao entregar o atestado, pois este já é
    o 8º atestado em dois anos, e sempre às 2ªs.
    Aí falta pão, o aluguel atrasa, a água, luz, e telefone vencem, as prestações
    e o cartão de crédito vão para protesto e CERASA, e a culpa é de quem?
    Do coxinha do patrão , é claro!
    A situação é análoga: não adianta continuarmos esse Carnaval diabólico
    com mais “xaxixo”, “martelinhos”, arruaças, manifestações , e ainda
    acharmos que isso é profissão ou trabalho.
    As consequências e as contas virão, vamos cuidar da nossa realidade.
    Sem essa de entrar na conversa de Dilma.

    • Belo discurso Tonico. Começa sem noção e acaba sem razão. Até 2018 tem muita água para rolar debaixo desta ponte e não estou disposto a pagar para ver como irá acabar isso nas mãos do Temmer, Portanto apoio uma consulta a população sobre novas eleições e assim quem sabe aparece os tais políticos corretos e éticos como você sonhou.
      Agora que acordou, pensa um pouco, pois a economia brasileira não vai aguentar até o final do ano com os que hoje estão no poder.
      O mais racional é a população decidir o que realmente deseja. Pois como bem disse a Presidente afastada. Não será nos porões dos gabinetes que se irá resolver isso.

  8. Até que enfim, “nossa presidenta acordou”. Graças a Deus. Dima Rousseff é “sensata, culta, e sabe o q/ é melhor pra todos nós”. Me sinto muito feliz c/ essa atitude da presidenta. (Novas Eleições) é o mais sensato, nesse momento. “Acaba c/ as brigas de contras e a favor” coloca um ponto “final” nessa disputa de eleição q/ continua c/ a “oposição ” desde de 2014.__ A partir de NOVAS ELEIÇÃO vamos recuperar a confiança e o respeito e mostrar q/ nossa presidenta tem VALOR”, e cuida do s/ povo com muita Justiça Social. Bravo Presidenta Dilma Rousseff. Parabéns minha presidenta do meu brasil.

  9. Ela pode convocar o que ela quiser……………… até eu já me declarei imperador do Brasil!
    Esmael sempre expressando grande esclarecimentos em seu blog……

    • Nem na sua casa você deve mandar…..kkkkk…..quanto mais querer ser imperador

      • Na minha não mando nada mesmo mas em casa de sindicalista ausente que fica fazendo protesto politico bancado com dinheiro de contribuição sindical de operário enganado mando muito, pergunta lá pra ela……

  10. Estão nervosos os coxinhas hipócritas e desavergonhados?

  11. O que tem que sepultar é o mandato dessa senhora. Fez um governo medíocre e corrupto e não quer largar o osso. Quando perder o foro privilegiado a casa cai. Viva a Lava Jato.

    • Alienado ops! Apartidário. Ela disse que vai realizar consulta a população, pois ela está de saco cheio de gente como você ruminando no ouvido dela e deixando a turma do Temmer passar o rodo na nação Brasileira. Mas mané é mané e não tem jeito mesmo.

  12. Isso sim é golpe!
    Não tem previsão constitucional para isso.
    Em primeiro lugar teria que ser impedida a presidente, depois teria que ser impedido o vice.
    Está jogando para a galera do MST, para os movimentos sociais, para os beneficiários do bolsa família e para a equipe dela que tava mamando no governo, enfim, para todos aqueles que não conhecem ou nunca leram a Constituição Federal.

    • Golpe Sandro foi o que você e mais um bando de alienados fizeram. O que ela propõem é arrumar a casa que vocês bagunçaram. E deixa de ser tacanha, pois o Temmer não tem legitimidade para comandar o Brasil. Era somente vice e figura decorativa.

      • Arrumar a casa que o PT bagunçou todos esses anos vc quer dizer? Ou vc mora em outro Brasil, pq pelo que sei a bagunça tá desde que o PT entrou !

      • não tem legitimidade e o pior. não tem capacidade. ele só sabe lidar com bandido. e, o povo brasileiro não é bandido. tem alguns tipo ele e seus aliados.

  13. KKKK…a miss mandioca não convoca mais nada….a cadeia tá bem próxima dessa energúmena!!!!