Alvaro Dias: “Valorizar a Operação Lava Jato e garantir o impeachment”

alvaro_dias

O senador Alvaro Dias (PV), em sua coluna desta quarta (1º), defende a operação Lava Jato contra “predadores” flagrados em gravações, a exemplo dos ex-ministros da Transparência (Fabiano Silveira) e do Planejamento (Romero Jucá). Apesar desses fatos, Alvaro não vê motivos para interromper o processo de impeachment no Senado. Abaixo, leia, ouça, comente e compartilhe a íntegra do texto:

Download do áudio

Valorizar a Operação Lava Jato

Alvaro Dias*

Em menos de vinte dias de governo, o presidente interino Michel Temer perdeu dois ministros flagrados em áudios insinuando tentativas de obstrução das investigações da Operação Lava Jato.

No caso mais recente, envolvendo o ministro da Transparência, independentemente do conteúdo da gravação, a vinculação do ministro a um fato que mostra a tentativa de se conspirar contra a Lava Jato tornou a permanência de Fabiano Silveira no cargo insustentável.

Quem está encarregado da transparência, fiscalização e controle do governo não pode participar de ações que tenham como objetivo comprometer os trabalhos da Operação Lava Jato. A permanência do ministro desacreditaria a promessa do presidente interino Michel Temer de que não interferiria na Lava Jato. O governo Temer tenta conquistar credibilidade junto à sociedade brasileira, e manter ministros envolvidos em investigações não é um bom caminho.

De qualquer forma, os áudios com tentativas de obstrução à Operação Lava jato mostraram que não houve avanço. Foram tentativas que não deram resultado, já que a Operação Lava Jato prossegue de forma ininterrupta e irresistível, e irá até o fim. Os avanços devem ser consagrados e não devemos permitir retrocessos. O que precisamos é, cada vez mais, valorizar e aplaudir o trabalho do Ministério Público, da Polícia Federal e da Justiça Federal.

Os oposicionistas ao atual governo dizem que a divulgação dos áudios envolvendo políticos do PMDB pode prejudicar os trabalhos da comissão do impeachment da presidente Dilma Rousseff. Essa será mais uma tentativa frustrada de impedir que o itinerário do impeachment seja percorrido na legalidade, pois não há nenhum obstáculo aparente para impedir que esse processo tenha prosseguimento. Os fatos aludidos nas gravações não dizem respeito ao processo do impeachment; ao contrário, esses fatos fortalecem a necessidade do impeachment, porque o País estava à deriva.

*Alvaro Dias é senador pelo Partido Verde. Ele escreve nas quartas-feiras para o Blog do Esmael sobre “Ética na Política”.

Comentários encerrados.