STF pode anular o impeachment

cardozoA presidente Dilma Rousseff e o Advogado-Geral da União, José Eduardo Cardozo, vão ao Supremo pedir anulação do impeachment alegando que Eduardo Cunha (PMDB-PR) agiu com desvio de poder “a seu favor, a seu benefício” visando atrapalhar as investigações da Lava Jato e sua cassação no Conselho de Ética na Câmara.

Segundo Cardozo, Cunha cometeu desvio de poder ao abrir o processo de impeachment e isso ensejaria a anulação do rito de afastamento da presidente da República.

Além disso, o governo também apontará no STF a coação — ou pressão ilegítima — do presidente da Câmara, Waldir Maranhão (PP-MA), que revogou a anulação do impeachment na calada da noite sem dar uma explicação sequer.

O Senado programou para esta quarta-feira, dia 11, a votação do afastamento da presidente Dilma Rousseff pelo prazo de 180 dias.

Paralelamente, o presidente da Casa, Renan Calheiros (PMDB-AL), alterna a discussão do golpe contra a presidente e a composição no novo ministério de Michel Temer (PMDB).

Entretanto, para consumo dos senadores, Renan jura que é “neutro” para conduzir o impeachment. Há quem acredite nisso…

Comentários encerrados.