Por Esmael Morais

Por 74 votos, Senado defenestra Delcídio

Publicado em 10/05/2016

Delcídio foi preso em 25 de novembro de 2015 pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki. A alegação foi que Delcídio atuava para atrapalhar as investigações da Operação Lava Jato, da Polícia Federal, que investiga a corrupção Petrobras.

Segundo documentação encaminhada pelo ministro do STF ao Senado, Delcídio negociara a facilitação de fuga do ex-diretor da Área Internacional da Petrobras Nestor Cerveró para evitar uma possível colaboração premiada com a Justiça. Em troca do silêncio, seriam oferecidos R$ 50 mil mensais à família de Cerveró. A conversa foi gravada por Bernardo Cerveró, filho de Nestor, e o teor da gravação foi publicado na imprensa.

Por lei, cabia ao Senado autorizar a detenção de um senador no exercício do mandato. A votação em Plenário aconteceu na noite do próprio dia 25. Com 59 votos favoráveis, 13 contrários e uma abstenção, os senadores acolheram a decisão do Supremo e Delcídio permaneceu detido até 19 de fevereiro, período em que ele próprio firmou acordo de delação premiada, acusando de corrupção dezenas de políticos, funcionários públicos, lobistas e empresários.

Com informações da Agência Senado.