Mídia golpista reconhece dificuldade do interino Michel Temer no Senado

cristovam_buarque

Não é só o senador Roberto Requião (PMDB-PR) que enxerga um ambiente de chuvas e trovoadas no Senado, nas vésperas da votação do impeachment da presidente eleita Dilma Rousseff (PT). O jornal Folha de S. Paulo, edição deste domingo (29), também vê dificuldades para o interino Michel Temer (PMDB) continuar no cargo.

O jornalão dos Frias contabilizou 14 senadores indefinidos acerca do afastamento da presidente eleita. No último dia 12 de maio, portanto há 17 dias, o Senado aprovou a admissibilidade por 55 votos a favor e 22 contrários. É mais ou menos a mesma conta já feita pelo Blog do Esmael na quinta (26)

Para Dilma ser definitivamente afastada, o Senado precisará confirmá-lo com quórum qualificado de dois terços dos 81 senadores, ou seja, 54 votos. A margem pró-Temer é muito estreita e a crise provocada com as gravações dificulta a vida do golpista na Casa.

Dentre os indecisos está o senador Cristovam Buarque (PPS-DF), que avalia como negativo o início do governo interino. Segundo ele, tal qual Dilma, Temer será julgado pelo conjunto da obra.

Buarque já havia se manifestado logo após o anúncio do ministério golpista. “Ficou estranho um ministério sem mulheres, sem representantes de minorias e movimentos sociais”, declarou.

Os 14 senadores que votaram para afastar Dilma, mas não se posicionam sobre o julgamento final:

Benedito de Lira (PP-AL)
Edison Lobão (PMDB-MA)
José Antonio Reguffe (s/ part.DF)
Fernando Collor (PTC-AL)
Hélio José (PMDB-DF)
José Maranhão (PMDB-PB)
Marcelo Crivella (PRB-RJ)
Roberto Rocha (PSB-MA)
Wellington Fagundes (PR-MT)
Acir Gurgacz (PDT-RO)
Cristovam Buarque (PPS-DF)
Omar Aziz (PSD-AM)
Raimundo Lira (PMDB-PB)
Antonio Carlos Valadares (PSB-SE)

Comentários encerrados.