Lideranças repercutem suspensão do golpe contra Dilma

golpe

A decisão do presidente da Câmara, Waldir Maranhão (PP-MA), que anulou nesta segunda-feira (9) o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff, trouxe um certo alívio para as lideranças políticas contrárias ao golpe. Veja a repercussão a seguir.

gleisiA senadora Gleisi Hoffmann (PT), em sua página no Facebook, afirmou que a conjuntura mudou totalmente. “A Câmara dos Deputados vai ter que votar de novo, e dessa vez incluindo o vice presidente Michel Temer. Nós vamos lutar, porque essa decisão com certeza também é resultado da resistência que todas e todos nós estamos fazendo. Vamos continuar nas ruas e na luta pela democracia!”

Em outra postagem, a senadora acrescentou: “O golpe não se sustenta mais. Não podemos deixar que isso manche a história da nossa democracia tão jovem e duramente conquistada. O processo no Senado precisa ser devolvido a Câmara novamente.”

bUc1grb6Pelo Twitter, o senador Roberto Requião, afirmou: “A toda ação sucede uma reação igual é contrária . Ao golpe sucede o contra golpe. BAZINGA!”. E perguntou: “Afinal sem o Cunha eles não são nada?” O senador ainda arrematou que: “Quem com Cunha fere com Maranhão será ferido.”

 

dino2O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB) comentou pelas redes sociais a decisão do deputado Waldir Maranhão de anular a votação do impeachment na Câmara dos Deputados. Segundo ele, juridicamente, a decisão tem mais fundamento do que os argumento apresentados para tentar justificar o golpe.

O advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo, irá conceder uma entrevista coletiva ainda esta tarde para comentar a decisão; além do próprio presidente da Câmara, Waldir Maranhão , também deve se pronunciar sobre a decisão.

Com informações do Portal Vermelho.

Comentários encerrados.