Golpistas não desistem de pegar Lula

lula

A velha mídia golpista voltou bater bumbos contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Reportagem da revista Veja, deste fim de semana, divulgou trechos de uma suposta delação do ex-deputado Pedro Correa (PP-PE), condenado a mais de 20 anos de cadeia por corrupção e lavagem de dinheiro.

A publicação da Editora Abril tenta incriminar Lula visando abafar gravações de senadores do PMDB que mostram planejamento do golpe de Estado, para destituir a presidente eleita Dilma Rousseff, em conluio com ministros do Supremo Tribunal Federal e setores da mídia.

Em nota, o Instituto Lula afirma ser “repugnante que policiais e promotores transcrevam essa farsa em documento oficial, num formato claramente direcionado a enxovalhar a honra do ex-presidente Lula e de um dos mais respeitáveis políticos brasileiros, o falecido senador José Eduardo Dutra, que não pode se defender dessa calúnia”.

“A utilização desse recurso nojento é mais uma evidência de que, após dois anos de investigação, a Lava Jato não encontrou nenhuma prova ou sequer indício de participação de Lula nos desvios da Petrobras, porque o ex-presidente sempre agiu dentro da lei. E por isso apelam a delações mentirosas”, destaca a nota.

O novo ataque a Lula é mais uma tentativa desesperada dos golpistas, que lutam para manter o usurpador Michel Temer (PMDB), com o intuito de impor uma agenda de retrocessos às conquistas sociais.

A seguir, leia a íntegra da nota do Instituto Lula:

NOTA À IMPRENSA
Sem provas contra Lula, MPF vaza diálogo inventado

São Paulo, 27 de maio de 2016,

Pedro Correa foi condenado pelo juiz Sergio Moro a mais de 20 anos de cadeia por ter praticado 72 crimes de corrupção e 328 operações de lavagem de dinheiro. Foi para não cumprir essa pena na cadeia que ele aceitou negociar com o Ministério Público Federal uma narrativa falsa envolvendo o ex-presidente Lula, inventando até mesmo diálogos que teriam ocorrido há 12 anos.

É repugnante que policiais e promotores transcrevam essa farsa em documento oficial, num formato claramente direcionado a enxovalhar a honra do ex-presidente Lula e de um dos mais respeitáveis políticos brasileiros, o falecido senador José Eduardo Dutra, que não pode se defender dessa calúnia.

O Estado de Direito não comporta esse tipo de manipulação, insidiosa e covarde, nem por parte dos agentes públicos nem dos meios de comunicação que dela se aproveitam numa campanha de ódio e difamação contra o ex-presidente Lula.

A utilização desse recurso nojento é mais uma evidência de que, após dois anos de investigação, a Lava Jato não encontrou nenhuma prova ou sequer indício de participação de Lula nos desvios da Petrobras, porque o ex-presidente sempre agiu dentro da lei. E por isso apelam a delações mentirosas.

Assessoria de imprensa do Instituto Lula

Comentários encerrados.