Enfim, gravações chegam a Temer

temer_chalita

O presidente interino Michel Temer (PMDB) foi, enfim, detonado pelas gravações do delator Sérgio Machado (PSDB), ex-presidente da Transpetro, que afirma em conversa ter ajudado o golpista-mor na eleição de aliado político.

No áudio já homologado pelo Supremo, Machado conta ao ex-presidente José Sarney que Michel Temer pediu contribuição para a campanha do então deputado federal Gabriel Chalita à Prefeitura de São Paulo, pelo PMDB, em 2012.

Nos bastidores da política, fala-se que tem muito mais áudios inéditos envolvendo Temer. Também se especula que as partes “inaudíveis” dos vazamentos seletivos, na verdade, seriam edições para proteger o presidente interino.

Machado buscava articulação com Sarney para deter as investigações da Lava Jato, a exemplo do que fez com os senadores Romero Jucá (PMDB-RR) e Renan Calheiros (PMDB-AL).

Com Jucá, o delator fala em “suicídio” da presidente eleita Dilma Rousseff para dar liberdade para Temer “mudar tudo”, isto, é parar as investigações da Lava Jato e colocar cabresto nos procuradores do Ministério Público.

Para aliviar a gravidade das denúncias contra Michel Temer, a revista Veja e a própria Globo vitamiram ontem (27) uma suposta delação do ex-deputado Pedro Correa (PP-PE) contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva que, ao que parece, virou moeda de troca na proteção do presidente interino e do golpe de Estado.

Abaixo, leia trechos da transcrição do áudio:

Sérgio Machao: O Michel, presidente… lhe dizer… Eu contribuí pro Michel.

José Sarney: Humm…

Machado: Eu contribuí pro Michel. Não quero nem que o senhor comente com o Renan. Eu contribuí pro Michel pra candidatura do menino… Falei com ele até num lugar inapropriado, que foi na Base Aérea.

Sarney: Mas alguém sabe que você me ajudou?

Machado: Não, sabe não. Ninguém sabe, presidente.

Machado: Você acha que a gente consegue emplacar o Michel sem uma articulação do jeito que esta…

Sarney: Não. Sem articulação, não. Vou ver o que acontecendo, vou no Michel hoje…

Machado: Ninguém sabe que eu lhe ajudei.

Sarney: Porque o César Rocha, o César, o César Rocha, que é o nosso cúmplice junto com o…

Machado: Com o Teori?

Sarney: Com o Teori. Ele é muito, muito, mas muito amicíssimo lá do tribunal. O César fez muito favor pra ele.

Comentários encerrados.