Eleição “casada” em outubro seria boa ou ruim para os atuais prefeitos?

dilma_ducci_fruetO espectro da eleição presidencial antecipada volta a rondar o mundo político brasileiro, pois a presidente Dilma Rousseff tende anunciar apoio à convocação de nova disputa para 2 de outubro deste ano.

Praticamente há consenso nos movimentos sociais e na base de sustentação do governo sobre a conveniência de Dilma encurtar seu próprio mandato para pôr cabo à crise e à ilegitimidade do vice Michel Temer.

Provavelmente daqui a 10 dias, o Senado deverá aprovar o afastamento de Dilma por 180 dias. Nas palavras do senador Roberto Requião (PMDB-PR), os parlamentares até se convenceram de que a presidente não tem responsabilidade, mas “já negociaram o voto antes” (veja o vídeo).

A questão central remetida no título desta matéria é: eleição presidencial casada com a corrida pelas prefeituras municipais seria um fato bom ou ruim para os atuais prefeitos?

O prefeito de Curitiba, Gustavo Fruet (PDT), por exemplo, como iria se virar nesse quadro, haja vista ele ter sido eleito com apoio do PT e ter disputado o apoio de Dilma — publica e judicialmente — com o ex-prefeito Luciano Ducci (PSB)?

Como se sabe, tanto Ducci quanto Fruet se declaram hoje ex-dilmistas.

6 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. I simply want to tell you that I am just beginner to blogging and certainly savored your blog site. Likely I’m planning to bookmark your site . You surely come with beneficial well written articles. Thanks a lot for sharing with us your web page.

  2. Confesso que uma coisa não tem nada em haver com a outra. Pois a Presidente Dilma está sofrendo um processo de cassação política e os Prefeitos que irão disputar as eleições em 2016, terão que ter demonstrado suas competências para serem reeleitos.

    Como tem muitos Prefeitos que ficaram a desejar, o que lhes resta é o apoio político que seus partidos poderão ter das “novas” lideranças do cenário nacional brasileiro.

    E aí já tem muitos saindo da largada com cavalo baio e não irá chegar a lugar algum.

    Mas eleição é eleição e depende da vontade do povo ou pelo menos dependia desde o fim das eleições de 2014.

  3. Teria que dividir o horário na tv!

  4. O que é tido como bom? Por exemplo, essa canalhada na câmara e senado federal, é bom? Creio que não … bom seria o povão aprender a votar e não tratar voto igual lixo … enfia na urna e dá descarga, depois … Se não forem eleições gerais, esquece que a merda é a mesma … O problema não é a (o) presidente, mas a câmara dos deputados (baixa) e senadores (alta?)… Veja, por exemplo, o Paraná … O relincha rouba, mete a mão, desce o cacete e? Nada … todos os deputados, raras exceções, as mesmas de sempre e os mesmos partidos (PT, PC do B, e algum outro) lhe fazem contraponto … No governo federal, a câmara inteira, mais o senado, com suas raras exceções, da mesma forma, infestada de ratos, vão tirar uma presidente eleita majoritariamente pelos brasileiros … que não tem um processo, não tem um real roubado, nada … então, o que é bom? … Talvez um paredão cubano …

  5. Sou a favor de novas eleições, mas perguntou, temos uma Câmara golpista, um STF golpista e um Vice golpista, como vencer esse vermes de que o povo quem manda e não eles?

  6. Eleições gerais Mesmo.

    Presidente, deputados, senadores, assembleias, governadores. Tudo no mesmo decreto.
    E um decreto separado pela eleição do judiciario. Imediatamente, dona Dilma.