Delcídio: perto da gravação de Jucá, a minha é ‘brincadeira’ de criança

juca_delcidioO ex-senador Delcídio do Amaral (sem partido-MS) disse que os motivos que levaram à sua prisão e posterior cassação parecem ‘brincadeira de criança’ perto das razões que causaram a queda do brevíssimo ministro do Planejamento, Romero Jucá (PMDB-PR), apanhado em gravações tramando a derrubada da presidente eleita Dilma Rousseff e o fim das investigações da Lava Jato.

“Depois da gravação do Mercadante, Lula e Dilma e essa agora do Jucá, com todo respeito, a minha conversa é uma Disney, uma grande brincadeira”, declarou Delcídio ao Estadão.

Delcídio tem razão em partes, pois a gravação de Jucá revela detalhes do complô para destituir a presidente eleita com participação efetiva de ministros do Supremo Tribunal Federal. Aliás, o ex-senador só foi cassado porque também disse manter relações não republicanas com os magistrados da corte máxima do país.

A questão central agora, depois da demissão de Jucá, é o que o Senado e o STF farão? Deixarão por isso mesmo e o brevíssimo ex-ministro interino voltará ao exercício do mandato como se nada tivesse acontecido?

Delcídio assiste à poética justiça (se é que ela existe). Foi Jucá quem apresentou o regime de urgência para votação da cassação de seu mandato no Senado.

O desabafo do senador cassado se deu ontem (23) depois que, no Senado, surgiram cartazes com dizeres “Jucá=Delcídio: Prisão e Conselho de Ética Já!”.

“Ele fala de tudo, e por muito menos eu fui pro saco. Ele cogita uma mudança de governo para se fazer um pacto contra a Lava Jato. É absurdo!”, diferencia-se Delcídio.

Entretanto, apesar do encaminhamento pela cassação, nos áudios fica claro que Jucá lamentou o vazamento e a consequente defenestração de Delcídio: “Foi uma cagada geral”, reconheceu o homem forte do presidente interino Michel Temer (PMDB).

Comentários encerrados.