Blog do Esmael

A política como ela é em tempo real.

Veja como será a marcha que já faz tremer o Palácio Iguaçu

marcha16

Nesta sexta-feira em que o massacre de 29 de abril completará um ano, uma grande marcha liderada pelos educadores da rede pública estadual vai sacudir Curitiba. As perspectivas de tamanho, força e repercussão desta mobilização já estão fazendo tremer o governador Beto Richa (PSDB) e sua equipe; a julgar pelos ataques desferidos pela internet e com uma carta falsa distribuída nas escolas. 

A manifestação terá três locais de concentração a partir da 8h30 da manhã. O primeiro será a Praça Santos Andrade, para onde irão os professores e demais servidores públicos estaduais. O segundo é a Praça Rui Barbosa, para onde seguem o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), as Centrais Sindicais e demais movimentos sociais. O terceiro local é a Secretaria da Fazenda do Estado (Sefa), na Avenida Vicente Machado, onde irão se concentrar servidores estaduais da Saúde.

Cada uma das concentrações sairá em passeata e todos devem se encontrar nas imediações da Praça Tiradentes, seguindo para a Praça 19 de Dezembro, onde haverá uma parada com falas das lideranças dos movimentos. Em seguida os manifestantes seguem para o Centro Cívico, palco do massacre promovido por Richa em 2015. Lá haverá o almoço comunitário e o ato principal com os shows da Banda Detonautas Roque Clube e Pereira da Viola.

Além da mobilização na Capital e Região Metropolitana de Curitiba, a APP-Sindicato já conta com mais de 70 ônibus confirmados do interior do estado. Todas as categorias do funcionalismo estadual reunidas no Fórum de Entidades Sindicais (FES) decidiram cruzar os braços nesta sexta-feira.

O Blog do Esmael, em parceria com a TV 15, vai transmitir ao vivo para o Brasil e o mundo a marcha desta sexta.

Segundo o secretário de Comunicação da APP-Sindicato, Luiz Fernando Rodrigues, este será uma ato para relembrar o massacre, mas principalmente um ato em defesa da educação e contra a criminalização dos movimentos sociais.

“Os professores tem uma pauta definida em defesa da educação, é com essa pauta que nós vamos para a rua. O MST tem sua luta contra a violência no campo, e as demais categorias e movimentos têm suas reivindicações, vamos unir isso tudo amanhã numa bela marcha”;  afirmou Luiz Fernando.

Relembrando

No dia 29 de abril de 2015, o governador Beto Richa (PSDB) e o então secretário de Segurança Pública Fernando Francischini (SD) comandaram um ataque covarde aos milhares de servidores que se manifestavam na Praça Nossa Senhora de Salete contra o confisco de suas aposentadorias.

Apesar da barbárie que resultou em mais duzentos feridos, Beto Richa segue governando o Paraná normalmente, e o ex-secretário Francischini exerce seu mandato de deputado federal, esbravejando contra a corrupção(!), defendendo a moral e os bons costumes.

Comentários desativados.