Senador critica formação do governo Temer antes mesmo do golpe

jORGE_vIANA_CABEÇA

Lideranças de movimentos sociais estiveram nesta terça-feira, no Senado Federal, para chamar a atenção para os riscos de o Congresso Nacional romper com a institucionalidade e aprovar o impeachment da presidente da República, Dilma Rousseff.

O senador Jorge Viana (PT-AC) participou do encontro com os representantes dos movimentos e afirmou em Plenário que, apesar de estar previsto na Constituição, o impeachment só é justificável se houver crime de responsabilidade, o que não se aplica à administração de Dilma.

Ele lamentou também que o vice-presidente da República, Michel Temer, já esteja trabalhando na montagem de seu governo, como tem noticiado a imprensa, mesmo sem decisão do Senado Federal sobre o impeachment.

“Se o seu Michel Temer, no Jaburu, já está montando um governo, para que o julgamento? É um jogo de cartas marcadas! Mas a população está vendo. Cada dia que passa, tem um número maior de pessoas que dizem ‘eu tava caindo no conto do vigário’. Realmente, o seu Eduardo Cunha, por vingança, resolve botar adiante, se junta com o que há de pior no Parlamento, para fazer o impeachment sem causa, sem crime.”

Jorge Viana reconheceu que a administração de Dilma Rousseff cometeu erros, sendo que um deles foi ter o PMDB como parceiro de governo.

O senador disse ainda não entender como alguns integrantes do PMDB classificam de golpe a antecipação das eleições presidenciais para este ano e, ao mesmo tempo, não criticam o processo de impeachment da presidente.

Ele lembrou que pesquisa do Ibope, feita entre os dias 14 e 18 de abril, revela que 62% dos entrevistados querem novas eleições. Além disso, apenas 8% defendem o impeachment de Dilma e a posse de Michel Temer.

Via Agência Senado.

Comentários encerrados.