Richa será lembrado pelo massacre

lembrado

A marca de Beto Richa (PSDB) após seus dois mandatos como governador do Paraná foi escrita há um ano, no dia 29 de abril de 2015. É assim que ele será lembrado. Ele foi o governante que ordenou o maior ataque a professores já registrado na história do país. Leia e ouça na coluna do vereador Jorge Bernardi (REDE). 

Download áudio

Governo Richa será lembrado pelo massacre de 29 de abril

Jorge Bernardi*

Daqui há alguns anos, do que os paranaenses lembrarão do governo Beto Richa?

A única lembrança que terão será do dia 29 de abril de 2015, quando mais de 200 professores foram feridos no Centro Cívico, na maior agressão já sofrida até hoje por educadores em toda a história brasileira. Não há precedentes de tanta violência envolvendo um governo e funcionários públicos.

No final de 2014, antes mesmo da posse, para novo mandato, o Governo Richa promoveu uma das maiores derrama de toda a história do estado. Os tributos foram elevados a níveis estratosféricos, com mais de 40 % de aumento da alíquota do IPVA, no ICMS da energia elétrica e de outros 90 mil itens, inclusive dos produtos da cesta básica. Estes aumentos extorsivos, aprovados pela Assembleia Legislativa, fez com que a inflação no Paraná subisse um ponto percentual acima da média brasileira.

A medida fez com que muitas indústrias deixassem o estado. O exemplo maior foi a Positivo Informática, empresa genuinamente paranaense, a maior do setor do país, que transferiu sua fábrica de Curitiba para Manaus, com o aumento de 12 para 18 % na alíquota do ICMS. A medida fez com que a empresa perdesse a competitividade. Mais de 2 mil empregos foram transferidos do Paraná para o Amazonas.

Não há nenhuma ação governamental que possa identificar positivamente o Governo Richa. Além do massacre de professores, está em curso o maior caso de corrupção no estado, a Operação Publicano, onde fiscais da Receita Estadual causaram prejuízo ao erário de cerca de R$ 1 bilhão de reais.

O número de investigados, neste processo, é maior do que os feridos no Centro Cívico. O governador também é investigado em inquérito junto ao STJ, acusado de ter sido beneficiário de R$ 4,3 milhões de reais em sua campanha de reeleição.

Há mais de 30 anos o regime militar estava dando seus últimos suspiros quando o Paraná elegeu José Richa governador do estado. Um governo que ficou na história pelas características democráticas, marcado por mudanças, eficiência, criatividade, respeito aos cidadãos e aos recursos públicos.

Agora os professores, além de apanharem da polícia, tem de fazer vaquinha para comprar a merenda escolar. O que a geração de José Richa fez de positivo, a atual destruiu pela violência, corrupção, arrogância e desrespeito ao cidadão.

*Jorge Bernardi, vereador de Curitiba (REDE), é advogado e jornalista. Mestre e doutorando em gestão urbana, ele escreve aos sábados no Blog do Esmael.

Comentários encerrados.