“Querem chegar, sentar na minha cadeira, mas sem voto”, diz Dilma

dilmaba

A presidenta Dilma Rousseff voltou a dizer hoje (26) que o processo de impeachment é uma tentativa de fazer uma eleição indireta por quem quer chegar ao Poder sem votos.

“O poder vem do voto popular direto. Esse impeachment, que é golpe, na verdade é uma tentativa de fazer uma eleição indireta por aqueles que não têm voto. Se eles querem chegar ao Poder e não tem crime [de responsabilidade], só tem um caminho: disputem eleições. Eles querem chegar, sentar na minha cadeira, mas sem voto. Esse é o problema. É claro que isso é muito confortável: você não tem que prestar conta para o povo brasileiro”, disse Dilma.

Dilma acrescentou que o processo de impeachment é um “golpe” contra as conquistas sociais dos últimos 13 anos. “É um golpe contra o Bolsa Família, contra o Minha Casa, Minha Vida, as interiorizações de universidades, contra o Pronatec”. A presidenta deu as declarações durante a cerimônia de entrega de unidades habitacionais do Programa Minha Casa, Minha Vida, em Salvador.

Ainda sem citar diretamente o vice-presidente, Dilma destacou que um eventual programa de Temer para a área social “começa com algo muito grave” ao dizer que vai “revisitar” os programas sociais. “Revisitar é diminuir a quantidade de dinheiro que o governo federal coloca nos programas sociais. Querem desvincular a obrigação do governo em gastar em educação e saúde”.

Dilma atacou o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que aceitou a denúncia que deu origem ao processo de impeachment e teve seu prosseguimento aprovado pelos deputados federais no último dia 17.

“Não tem uma acusação de que eu peguei dinheiro para mim. Muitas das ações das quais me acusam sequer eu participei. Como não acharam nenhum outro motivo, como aqueles que me acusam praticaram, como os crimes que praticaram, como crime de corrupção. Do que eles são acusados, eles vão ter que responder. Agora, eles têm acusação. Eu não tenho acusação. O mais estranho é que quem me julga, é corrupto. Essa pessoa, que é o presidente da Câmara, é uma pessoa que todo mundo sabe no Brasil que tem conta no exterior, é acusado pela Procuradoria-Geral da República”, afirmou.

Processo no Senado

O senador Raimundo Lira (PMDB-PB) foi eleito hoje presidente da Comissão Especial do Impeachment no Senado e o senador Antonio Anastasia (PSDB-MG) ficou com a relatoria do processo.

Com esta primeira sessão de trabalho, começa a contar o prazo para que a comissão conclua e vote, por maioria simples, um parecer indicando ou não a continuidade do processo. Este mesmo texto, independentemente do resultado no colegiado, será submetido ao plenário do Senado, onde precisa da mesma maioria simples entre os 81 senadores da Casa. Se a admissibilidade do processo for aprovada em plenário, Dilma é imediatamente afastada do cargo por 180 dias.

Temer

O vice-presidente da República, Michel Temer, teve ontem (25) mais um dia de reuniões com aliados, conversas com integrantes do PMDB e de outros partidos ou recebendo sugestões para a formação de um eventual governo, caso a presidenta Dilma Rousseff seja afastada pelo Senado em maio e ele assuma a Presidência, como consequência do processo de impeachment.

“Terei de ser repetitivo. Vou esperar o Senado Federal”, disse aos jornalistas, fazendo referência a duas ocasiões na semana passada, quando disse que aguardará “silenciosa e respeitosamente” a análise dos senadores sobre a admissibilidade do processo de impeachment de Dilma.

O vice-presidente voltou a conceder entrevista à imprensa estrangeira para rebater a tese de que o processo de impeachment é um golpe. “O processo de impeachment é legal e constitucional. A visão no exterior atualmente é de que o Brasil é uma pequena República, que é capaz de um golpe. Por isso, eu digo que não há golpe, nem tentativa de violar a Constituição. Sessenta e dois por cento da população brasileira são favoráveis ao impeachment. Então, que conspiração eu estou liderando? Eu tenho poder para convencer 367 deputados e mais da metade da população brasileira? Acho que é mais um equívoco”, afirmou ao canal de TV norte-americano CNN.

via Agência Brasil.

7 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. I just want to mention I am beginner to blogging and site-building and actually savored your web page. Very likely I’m planning to bookmark your website . You amazingly come with remarkable stories. Many thanks for revealing your blog.

  2. A direita, já ta escolhendo CARGOS, no governo ILEGITIMO E GOLPISTA, e hora de CONVOCAR ELEICOES GERAIS JA,ACABE COM ESSSA FARSA.DILMA, LULA E CIRO, ALIANCA DO POVAO

  3. TEMER SERIA UM PESSUTI MAGRO E LETRADO ?
    POIS APROVOU O 1º MANDATO DA TIA DILMA, TANTO QUE BRIGOU PARA CONTINUAR A SER SEU VICE E AGORA, DIANTE DA POSSIBILIDADE DE SR PRESIDENTE, SEM VOTOS, DIZ QUE NÃO CONCORDA COM NADA.

  4. Agora o golpista cara de pau tremeu na base pois a Dilma ja acende em decretar eleições gerais pois esse cara não teria um voto sequer se enfrentasse as eleições e agora quer falar em golpe golpista é vc se quer ser presidente tem que ser no voto.
    Temer quem te elegeu?????

    • Ow do Mato?? Tu não sabe de nada mesmo né? Se você lesse a Constituição Federal saberia que ela não pode “decretar”. Ela precisa mandar uma Emenda Complementar e esta precisa ser aprovada pelo Congresso. É bem fácil que o Congresso vai aprovar um GOLPE desse.

  5. A dilma foi se aliar com o capeta deu nisso.

  6. CUnha, com o total domínio da Câmara dos Horrores, do supreminho e daqui a pouco do Senado, se tornará um dos homens mais poderosos da história do Brasil. É corrupto? Não vem ao caso.