Blog do Esmael

A política como ela é em tempo real.

Lula reúne milhares em Fortaleza contra o golpe e defesa da democracia

da Agência Brasil

Milhares de pessoas participaram neste sábado (2), em Fortaleza, de um ato comandado pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva contra o golpe e em defesa da democracia; prestes a assumir o Ministério da Casa Civil, ele disse que a presidente Dilma Rousseff é vítima de uma campanha de ódio desencadeada pela mídia golpista; "Será que é ódio por que a empregada doméstica passou a ter direito neste país? Será que é ódio por que filho de pobre, negro, da periferia, passou a fazer faculdade, por que 22 milhões de empregos foram gerados em 12 anos, por que todos os trabalhadores organizados tiveram aumento de salário? Será que é por causa do Fies, do Pronatec, das escolas técnicas, do Minha Casa Minha Vida, do Bolsa Família e do aumento real do salário mínimo?", perguntou o ex-presidente Lula, sob forte chuva na capital do Ceará.

Milhares de pessoas participaram neste sábado (2), em Fortaleza, de um ato comandado pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva contra o golpe e em defesa da democracia; prestes a assumir o Ministério da Casa Civil, ele disse que a presidente Dilma Rousseff é vítima de uma campanha de ódio desencadeada pela mídia golpista; “Será que é ódio por que a empregada doméstica passou a ter direito neste país? Será que é ódio por que filho de pobre, negro, da periferia, passou a fazer faculdade, por que 22 milhões de empregos foram gerados em 12 anos, por que todos os trabalhadores organizados tiveram aumento de salário? Será que é por causa do Fies, do Pronatec, das escolas técnicas, do Minha Casa Minha Vida, do Bolsa Família e do aumento real do salário mínimo?”, perguntou o ex-presidente Lula, sob forte chuva na capital do Ceará.

Em Fortaleza, Lula reforça defesa do mandato de Dilma Rousseff

O ex-presidente Lula discursou hoje (02) na Praça do Ferreira, no centro de Fortaleza, e reafirmou a defesa do mandato da presidenta Dilma Rousseff, sua sucessora. A visita dele atraiu tanto a população da cidade como de outros municípios, que formaram caravanas para participar da manifestação.

Bandeiras, estandartes e camisas estampavam o rosto de Lula e os depoimentos das pessoas reforçavam a sua liderança política. “Nós viemos a Fortaleza dar apoio a Lula porque ele foi a pessoa que mudou a cara do Brasil. A visita é importante porque ele vem mostrar que tem compromisso com o povo.”, disse o agricultor Tertuliano Alves Feitosa, que mora em Pedra Branca, a 262 quilômetros da capital cearense.

A vinda a Fortaleza faz parte de uma estratégia do ex-presidente destinada a obter apoios à manutenção do mandato de Dilma na Presidência da República. Em um discurso de cerca de meia hora, Lula ressaltou as conquistas dos governos do PT e a necessidade da retomada do crescimento econômico.

Ele provocou diversas vezes palavras de ordem entre os presentes, como “Lula, guerreiro do povo brasileiro” e “Lula, me liga, me chama de querida”, que faz referência ao áudios de conversas do ex-presidente divulgados pelo juiz Sérgio Moro, responsável pelos processos da Operação Lava Jato.

“Mesmo que não tivesse esse ato, só pela chuva que Deus mandou, já valeria a pena estar aqui no Ceará”, iniciou Lula, citando a chuva que persiste no estado há três dias e que prosseguiu no dia de sua visita. Em uma avaliação da crise política, ele disse nunca haver visto um clima de ódio como o atual e, sem citar nomes, o atribuiu a alguns setores da mídia.

O ex-presidente criticou as pessoas que se manifestam a favor da saída de Dilma. “Essa gente que vai para a rua usando verde e amarelo para dizer que são brasileiros precisava ter trabalhado o tanto que nós trabalhamos. Eles precisam saber que esse povo que está aqui é ordeiro, paga suas contas e que quer apenas respeito ao mais elementar e universal, que é o direito ao voto popular que elegeu Dilma.”

Segundo a Secretaria da Segurança e Defesa Social do Ceará, cerca de 12 mil pessoas participaram do ato na Praça do Ferreira.

Comentários desativados.