Eduardo Cunha já definiu como será o golpe neste domingo; votação será concluída à noite

Presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), definiu hoje (12), em reunião com o colégio de líderes, o rito de discussão e votação do pedido de abertura de processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff pelo plenário da Casa. As discussões serão iniciadas às 8h55 da próxima sexta-feira (15) e finalizadas domingo (17) à noite, com a votação do parecer do deputado Jovair Arantes (PTB-GO), favorável ao prosseguimento do processo de afastamento; Eduardo Cunha ainda não divulgou como será a ordem de votação. A base do governo defende a adoção do mesmo critério usado na votação do impeachment do presidente Fernando Collor, em 1992, que foi por ordem alfabética; para os defensores do impeachment de Dilma, não há relevância no critério; nos bastidores, parlamentares da base aliada temem que Cunha adote a votação alternada por estados de diferentes regiões; isso, segundo governistas ouvidos pela Agência Brasil, poderia provocar uma votação inicial grande a favor do impeachment, influenciando deputados indecisos.

Presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), definiu hoje (12), em reunião com o colégio de líderes, o rito de discussão e votação do pedido de abertura de processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff pelo plenário da Casa. As discussões serão iniciadas às 8h55 da próxima sexta-feira (15) e finalizadas domingo (17) à noite, com a votação do parecer do deputado Jovair Arantes (PTB-GO), favorável ao prosseguimento do processo de afastamento; Eduardo Cunha ainda não divulgou como será a ordem de votação. A base do governo defende a adoção do mesmo critério usado na votação do impeachment do presidente Fernando Collor, em 1992, que foi por ordem alfabética; para os defensores do impeachment de Dilma, não há relevância no critério; nos bastidores, parlamentares da base aliada temem que Cunha adote a votação alternada por estados de diferentes regiões; isso, segundo governistas ouvidos pela Agência Brasil, poderia provocar uma votação inicial grande a favor do impeachment, influenciando deputados indecisos.

Cunha define rito do impeachment; votação final deve ser na noite de domingo

O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), definiu hoje (12), em reunião com o colégio de líderes, o rito de discussão e votação do pedido de abertura de processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff pelo plenário da Casa. As discussões serão iniciadas às 8h55 da próxima sexta-feira (15) e finalizadas domingo (17) à noite, com a votação do parecer do deputado Jovair Arantes (PTB-GO), favorável ao prosseguimento do processo de afastamento.

Eduardo Cunha ainda não divulgou como será a ordem de votação. A base do governo defende a adoção do mesmo critério usado na votação do impeachment do presidente Fernando Collor, em 1992, que foi por ordem alfabética. Para os defensores do impeachment de Dilma, não há relevância no critério.

Nos bastidores, parlamentares da base aliada temem que Cunha adote a votação alternada por estados de diferentes regiões. Isso, segundo governistas ouvidos pela Agência Brasil, poderia provocar uma votação inicial grande a favor do impeachment, influenciando deputados indecisos.

Na sexta-feira, os trabalhos serão abertos com a fala dos autores da denúncia e a manifestação da defesa da presidenta Dilma Rousseff. Será concedido prazo de 25 minutos para ambas as partes. Depois disso, cada um dos 25 partidos com representação na Câmara e os líderes da maioria e da minoria terão uma hora para discussão. Esse tempo poderá ser dividido com até cinco parlamentares, independentemente do tamanho da bancada.

Pelo cronograma, serão necessárias, pelo menos, 28 horas para a discussão inicial. Com isso, a discussão iniciada na sexta poderá se prolongar até as 13h de sábado (16), ultrapassando o horário previsto por Cunha para início da sessão deste dia, 11h. Os trabalhos começam com a fala dos deputados que se inscreverem no dia anterior (de 9h às 11h) para discutir o relatório. No sábado, todos os líderes terão direito a falar por suas bancadas pelo tempo correspondente ao tamanho das bancadas.

A cada nova sessão, os líderes terão direito a usar da palavra conforme prevê o regimento da Casa. A intenção do presidente da Câmara é encerrar os debates no sábado. Cada um dos deputados inscritos terá direito a 3 minutos de fala. Se os 513 optarem por discursar, serão gastos 1.539 minutos, o equivalente a quase 26 horas.

Com início previsto para as 11h de sábado, se não houver interrupções, essa fase deverá durar até as 13h de domingo. Pelo cronograma definido hoje, no domingo, a sessão será iniciada às 14h, com a fala dos líderes partidários. Em seguida, os representantes dos partidos terão 10 segundos para fazer o encaminhamento e orientação da votação.

10 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. I just want to say I am just newbie to blogs and really savored your website. More than likely I’m want to bookmark your blog . You amazingly have outstanding well written articles. Bless you for sharing your web site.

  2. Dia 17 de abril, ficara marcado na historia como O DIA DO GOLPE, mas que fracassou. 64 numcamais

  3. Acordaremos com o PMDB, PSDB, DEM, PP, grupos internacionais, nacionais, os 62 mais poderosos do mundo transformarem os países latino americanos do México para baixo transnacionais e quem levará vantagem? O povo para variar continuará refém, marginalizado, humilhado para variar. Querem limitar acesso a internet e por aí quem tem consciência alerta e busca informações seguras tem ideia do que nos espera.

  4. Capacho da Globo, Cunha atende aos interesses de seus patrões da rede golpe: vai passar no fantástico. Mídia golpista. Mas não passarão. Não vai ter golpe, vai ter luta!

  5. JUSTIÇA eleitoral,qual seu verdadeiro papel…?

  6. EDUARDO cunha o super homem do brasil,ele e capaz de tudo que vai Interferir???.golpe e o caminho da verdade.

  7. Vou morrer e não vejo tudo, Eduardo Cunha e Temer com evidências de corrupção julgando e traçando a regra do processo sempre a favor deles.

    Deputado do Paraná Franchisquini junto com o Paulinho cantando em frente ao Palácio do Planalto, sem comentários.

    Sem comentários. O povo esta vendo e comentando quem são os homens que combatem a corrupção neste país com nomes na lava jato e outros desvios.

  8. RESPOSTA DA justiça partidária parcial e CORRUPTA,cumprir contrato,então vão consumar este ato,justiça vergonha.

  9. Se acontecer algo de ruim, a culpa é do Supremo que deixou correr solto.

    • NÃO FUI EU QUE VOTEI NO PT….A COUSA TÁ RUIM..E AGORA NÃO É MOMENTO DE COLOCAR A CULPA, EM LULA,DILMA,AÉCIO,PT E PSDB…SABE DE QUEM É A CULPA…PEDE PARA A POPULAÇÃO..54 MILHÕES QUE FORAM ENGANADOS LITERALMENTE…O SUPREMO TEM LEIS PARA SEREM SEGUIDA….VAI VC VANESSA SER PRESIDENTE DO BRASIL COM UM MONTE DE GENTE QUERENDO UMA FATIA DO BOLO..PENSE NISSO..