E se…

Do correspondente em Brasília/Blog do Zé Beto:

E se o deputado paranaense José Janene estivesse vivo, onde estaria? Na cadeia ao lado de André Vargas e Pedro Correia (presidente nacional do seu partido, o PP), no Congresso Nacional dirigindo a bancada do Partido Progressista, onde foi o líder e tesoureiro, na defesa de seus interesses no governo petista ou simplesmente sendo mais um delator premiado, como seu parceiro Alberto Youssef?

Quem seriam seus advogados? Quais seriam suas frases de intimidação? Então, o homem que morreu e levou consigo as confissões necessárias para conferência com seus amigos Pedro Correia, Delcídio Amaral, Alberto Youssef e seu apadrinhado na Petrobras, o famigerado Paulo Roberto Costa, poderia estar de que lado do balcão? Cada um pode escolher, mas diante de mais uma etapa da Operação Lava Jato, mais um fio da meada deJanene: Enivaldo Quadrado, dono da corretora Bônus-Banval, aquela do Mensalão, onde sua filha dava expediente como ‘estagiária’ em São Paulo, tinha até um operador jornalista envolvido em pagar sua multa mensal no STF: Breno Altman, que foi levado a depoimento na PF – http://migre.me/tpuIf e http://migre.me/tpuIs

Fonte: Ângelo Rigon

Comentários encerrados.