Contrários ao golpe planejam acampar em frente ao juízo de Sérgio Moro

Militantes contra o golpe planejam acampar em frente ao prédio da 13ª Vara da Justiça Federal, em Curitiba, juízo do parcialíssimo Sérgio Moro; dentre os setores que articulam o acampamento na Capital Nacional do Grampo estão o Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), movimentos estudantis, dissidentes do racha na OAB, mulheres, sindicalistas, militantes dos partidos de esquerda (PT, PCdoB, PSol, etc.); ainda não há uma data definida, mas a ideia do acampamento contra o golpe consiste na ocupação ad eternum da Praça Alexandre Brotto, no bairro Ahú, em frente ao prédio da Justiça Federal -- onde trabalha o juiz Sérgio Moro.

Militantes contra o golpe planejam acampar em frente ao prédio da 13ª Vara da Justiça Federal, em Curitiba, juízo do parcialíssimo Sérgio Moro; dentre os setores que articulam o acampamento na Capital Nacional do Grampo estão o Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), movimentos estudantis, dissidentes do racha na OAB, mulheres, sindicalistas, militantes dos partidos de esquerda e centro, etc.; ainda não há uma data definida, mas a ideia do acampamento contra o golpe consiste na ocupação “ad eternum” da Praça Alexandre Brotto, no bairro Ahú, em frente ao prédio da Justiça Federal — onde trabalha o juiz Sérgio Moro.

O Blog do Esmael obteve informações de que militantes contra o golpe planejam acampar em frente ao prédio da 13ª Vara da Justiça Federal, em Curitiba, juízo do parcialíssimo Sérgio Moro.

Dentre os setores que articulam o acampamento na ‘Capital Nacional do Grampo’ estão o Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), movimentos estudantis, dissidentes do racha na OAB, mulheres, sindicalistas, militantes dos partidos de esquerda e centro, etc.

Ainda não há uma data definida, mas a ideia do acampamento contra o golpe consiste na ocupação “ad eternum” da Praça Alexandre Brotto, no bairro Ahú, em frente ao prédio da Justiça Federal — onde trabalha o juiz Sérgio Moro.

Comentários encerrados.