Coluna do Marcelo Araújo: Um boi pra não entrar, uma boiada pra não sair

boiada

Em sua coluna semanal, o advogado especialista em trânsito Marcelo Araújo comenta a baixa popularidade do prefeito Gustavo Fruet (PDT), que, segundo o colunista, rendem vaias até em passeio ciclístico. Marcelo retoma a denúncia feita contra ele pela secretária de Trânsito de Curitiba, Luíza Pacheco, por suposta difamação contra os agentes, em processo que corre para o deslinde em momento mais que inoportuno, ou seja, em pleno processo eleitoral de sucessão na Prefeitura. Independente do caso, Marcelo lembra que a administração municipal vem mostrando incompetência para resolver questões simples como o uso indevido de radares, ou o pátio para veículos apreendidos. Leia, ouça, comente e compartilhe.

Download áudio

Marcelo Araújo*

No último domingo (03) é possível que o prefeito tenha entendido que diferente do que ele pensava, talvez por ineficácia de sua assessoria, ele não goza de prestígio para participar de eventos públicos como foi passeio ciclístico promovido pelo Condor, que certamente o deixou ‘con dor’ nos ouvidos de tanta vaia.

Importante destacar que as vaias só vieram quando sua presença foi anunciada, o que significa que é uma figura inexpressiva, invisível na multidão. Para quem foi tomar posse de bicicleta, a manifestação tem um pesado significado de falência moral e política, aquele que demoniza o automóvel e não angaria a simpatia dos ciclistas. Fica em casa, embaixo da cama na casa da mamãe é mais seguro…

No dia 14 de agosto de 2015 o Blog do Esmael noticiava a denúncia que a secretária de trânsito (minúsculo mesmo!) Luíza Pacheco fazia contra minha pessoa por suposta Difamação que eu teria praticado contra os agentes, contra a cidade e contra ela, por supostamente ter dito numa entrevista que haveria cotas de multas a serem atingidas, diga-se de passagem, episódio que ela mesma nem ninguém viu ou ouviu porque não existiu, apenas ouviu dizer.

Não contente com tal representação, ela pregou a cópia da denúncia em edital ao lado do relógio-ponto dos agentes da Setran, anunciando aos quatro cantos que havia me ‘colocado na justiça’ como forma de me amordaçar, ameaçar e intimidar. Não se atentou ao papel ridículo que fazia, nem a fragilidade e falta de qualidade do documento. Relembre a história e suas remissivas aqui.

Não tendo provado nada do que acusou, e feito manifestações preclusas (fora de prazo) a denunciante cada vez mais se mostra merecedora de responder por ‘Denunciação Caluniosa’ e largar mão de ser besta. Quem quiser ver detalhes do processo eu sugiro fazer como o colega advogado Marcelo Veneri e se habilitar provisoriamente no processo 0031700-87.2015.8.16.0182, do projudi, e ver o papel que não pedi para entrar na briga, mas agora faço questão de não sair.

A demora na tramitação do processo, e sua correção de rumo fazem que seu deslinde se dê em momento político cada vez mais inoportuno, pois será mais um instrumento a ser usado para desqualificar a gestão. Aliás, considerando que em ofício à Câmara Municipal o prefeito fez referência à denúncia de sua secretária, ao meu ver concordando e legitimando sua atitude incauta, e também seria merecedor de responder pela coautoria da ‘Denunciação Caluniosa’. Não queria ter entrado nessa briga, tanto que nem intimado eu havia sido, mas ao tomar conhecimento de sua existência entrei espontaneamente e não tenho vontade nenhuma de sair.

Nesses quase 200 dias de tramitação do processo fatos supervenientes estão demonstrando a cada dia a incapacidade do prefeito e sua equipe. Eles vão desde a manutenção indevida da ocupação dos radares que corre no Tribunal de Contas, e que tem sido gerador de um número estrondoso de multas, até a trapalhada com o pátio de remoção dos veículos, com a falsa notícia de que haveria leilão ainda em fevereiro, pois o pátio recém alugado de forma emergencial já começou lotado, sem vigilância e segurança adequadas, veículos com peças furtadas, vandalismo, não comporta mais nem uma mosca…aliás, moscas e mosquitos agradecem.

De multa eu entendo!

*Marcelo Araújo é advogado, presidente da Comissão de Trânsito, Transporte e Mobilidade da OAB/PR. Escreve nas terças-feiras para o Blog do Esmael.

 

Comentários encerrados.