Coluna do Alvaro Dias: A dívida pública e o BNDES na pauta do processo de impeachment

bndes

Em sua coluna semanal, o senador Alvaro Dias (PV) relaciona o crescimento da dívida pública nacional à corrupção, e aponta o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) como o espaço para operação dessa corrupção; para Alvaro, o governo federal utiliza o BNDES como artifício para tumultuar a administração pública sendo o banco um instrumento de políticas desonestas do governo; o senador conclui que é muito importante que a operação Lava Jato alcance o BNDES para por às claras essas suspeitas. Leia, ouça, comente e compartilhe.

Download áudio

Alvaro Dias*

No debate de causas e consequências da crise político-econômica, entenderemos que há uma relação direta entre Operação Lava-Jato, corrupção no País, impeachment da Presidente da República e as mazelas que afligem o povo brasileiro.

A dívida pública do nosso País hoje passa de R$4 trilhões. Em 2015, gastamos R$962 bilhões no refinanciamento dessa dívida. Isso significa que aplicamos a metade do que arrecadamos no País. A Alemanha, por exemplo, consome menos da metade do que gastamos para a administração da dívida pública.

Até 2018, nossa dívida alcançara 85% do PIB. É uma tragédia com a qual o governo não se preocupa. E sem a administração da dívida, não encontraremos solução para tantos problemas que impedem o crescimento econômico do Brasil, como o caos na saúde, a inflação e o desemprego.

Um dos instrumentos do monumental endividamento do País se chama BNDES.O governo se utiliza do BNDES como artifício para tumultuar a administração pública com uma contabilidade anarquizada. O BNDES passou a ser, portanto, um instrumento de políticas desonestas adotadas pelo governo.

Isso é uma tragédia para o País! Não há ação mais desavergonhada na Administração Pública do que essa de fazer empréstimos secretos, bilionários, a países sem condições de retorno, a países ditatoriais, especialmente da África.

Quando nós tivermos a possibilidade de ver os investigadores chegando a essa seara, onde se encontrará um verdadeiro chavascal de imoralidades, certamente ficará comprovado que a dívida pública brasileira e o BNDES têm, sim, tudo a ver com a corrupção, com a Operação Lava-Jato e com o impeachment da Presidente da República.

Nós não podemos ser tolerantes com a corrupção. Por isso, quando vejo a discussão sobre o impeachment cingir-se a preciosismos jurídicos para defender o mandato da Presidente da República, eu não me conformo, porque o que o povo brasileiro hoje exige é uma mudança radical do sistema de governança, que começa pela punição dos responsáveis pelo descalabro administrativo e pelo maior escândalo de corrupção da nossa história. E a penalização dos responsáveis, certamente, passará pelo impeachment da Presidente da República.

*Alvaro Dias é senador pelo Partido Verde. Ele escreve nas quartas-feiras para o Blog do Esmael sobre “Ética na Política”.

Comentários encerrados.