Beto Richa usa governo para dificultar investigações de corrupção na Receita Estadual, acusa MP

beto_richaAh, se Beto Richa fosse do PT… Mas não é. O governador do Paraná é do PSDB de Aécio Neves.

Feita essa consideração inicial, vamos aos fatos.

O Ministério Público (PM) acusa a Procuradoria-Geral do Estado do Paraná (PGE) de agir para anular delação do auditor fiscal Luiz Antonio de Souza com objetivo único de blindar o governador Beto Richa (PSDB), citado pelo delator como suposto beneficiário do esquema de corrupção na Receita Estadual.

O MP instaurou inquérito civil contra o procurador-geral do Estado, Paulo Sérgio Rosso, por suposto ato de improbidade administrativa, que traduzindo em bom português significa uso da máquina pública para fins particulares.

O dinheiro obtido da propina, disse Souza, teria sido usado na campanha de reeleição do tucano, em 2014, fato negado tanto por Beto quanto por seu partido.

O promotor Renato de Lima Castro remeteu cópia do inquérito civil à Procuradoria Geral da República (PGR), que instaurou procedimento para apurar a conduta do governador, com autorização do Superior Tribunal de Justiça (STJ), onde Beto, por ser governador, tem foro pra responder a processos criminais.

Beto Richa é o único governador da história do Paraná que conseguiu a proeza de ser investigado por corrupção no STJ.

O tucano é alvo da operação Publicano do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado).

Com informações de Loriane Comeli, da Folha de Londrina.

Comentários encerrados.