Blog do Esmael

A política como ela é em tempo real.

Richa abre vaga na Câmara Federal para Bertoldi, que está preso

Governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), inovou ao possibilitar vaga na Câmara Federal para o suplente Osmar Berdolti (DEM), que está preso há quase um mês; recentemente, tucano foi o primeiro governador paranaense investigado com autorização do Superior Tribunal de Justiça (STJ); suplente de deputado foi preso porque bateu na ex-mulher e descumpriu ordem judicial de não chegar perto da moça; Bertoldi assumirá a vaga deixada pelo deputado Valdir Rossoni (PSDB), que assumiu a chefia da Casa Civil nesta segunda-feira (21).

Governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), “inovou” ao possibilitar vaga na Câmara Federal para o suplente Osmar Berdolti (DEM), que está preso há quase um mês; recentemente, tucano foi o primeiro governador paranaense investigado com autorização do Superior Tribunal de Justiça (STJ); suplente de deputado foi preso porque bateu na ex-mulher e descumpriu ordem judicial de não chegar perto da moça; Bertoldi assumirá a vaga deixada pelo deputado Valdir Rossoni (PSDB), que assumiu a chefia da Casa Civil nesta segunda-feira (21); advogado Cláudio Dalledone Júnior, ao Blog do Esmael, informou que impetrou um Habeas Corpus para libertar seu cliente e assumir a vaga na Câmara.

O governador Beto Richa (PSDB) segue “inovando” no Paraná. O tucano conseguiu a proeza de uma abrir uma vaga na Câmara Federal para o suplente Osmar Berdolti (DEM), que está preso há quase um mês.

O suplente de deputado foi preso porque bateu na ex-mulher e descumpriu ordem judicial de não chegar perto da moça.

Bertoldi assumirá a vaga deixada pelo deputado Valdir Rossoni (PSDB), que assumiu a chefia da Casa Civil nesta segunda-feira (21). Mas, para isso, precisará de um Habeas Corpus. “Já ingressamos com o pedido em juízo”, disse ao Blog do Esmael o advogado Cláudio Dalledone Júnior.

Curiosamente, Rossoni também teve um entrevero nas redes sociais com uma professora de Curitiba. Ele a chamou de “biscate”, o que gerou protestos na categoria.

Na linha de sucessão, também estão os suplentes Nelson Padovani (PSC) e Paulo Martins (PSC) — primeiro e segundo suplentes, respectivamente.

Além de Rossoni, o deputado Ricardo Barros (PP) deixou a Câmara para assumir a Secretaria de Estado do Planejamento.

Como se vê, Richa continua inovando (para pior), pois, recentemente foi o primeiro governador paranaense investigado com autorização do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Comentários desativados.