Requião propõe votação nominal na convenção nacional do PMDB

Roberto Requião levará à convenção nacional do PMDB, neste sábado (12), em Brasília, a proposta de votação nominal para a escolha dos novos integrantes do partido; entretanto, parlamentar paranaense disse discordar de um "prato feito" para escolha do novo diretório. "Não concordaremos com um acordo entre alguns caciques. Queremos que a base do partido escolha sua direção nacional", voltou a propor nesta segunda-feira (7), em Curitiba; no último sábado (5), em Porto Alegre, o senador Roberto Requião foi vaiado no encontro peemedebista dos estados do Sul ao se posicionar contra a condução coercitiva do ex-presidente Lula, na sexta (4). “Como advogado garantista não posso concordar que alguém seja preso ou conduzido coercitivamente sem a intimação”, discursou sob apupos da plateia majoritariamente gaúcha; abaixo, assista ao vídeo.

Roberto Requião levará à convenção nacional do PMDB, neste sábado (12), em Brasília, a proposta de votação nominal para a escolha dos novos integrantes do partido; entretanto, parlamentar paranaense disse discordar de um “prato feito” para escolha do novo diretório. “Não concordaremos com um acordo entre alguns caciques. Queremos que a base do partido escolha sua direção nacional”, voltou a propor nesta segunda-feira (7), em Curitiba; no último sábado (5), em Porto Alegre, o senador Roberto Requião foi vaiado no encontro peemedebista dos estados do Sul ao se posicionar contra a condução coercitiva do ex-presidente Lula, na sexta (4). “Como advogado garantista não posso concordar que alguém seja preso ou conduzido coercitivamente sem a intimação”, discursou sob apupos da plateia majoritariamente gaúcha; abaixo, assista ao vídeo.

O senador Roberto Requião (PMDB-PR) levará à convenção nacional neste sábado (12), em Brasília, a proposta de votação nominal para a escolha dos novos integrantes do partido.

O senador paranaense esteve no último sábado (5) no encontro regional do PMDB Sul — Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Mato Grosso do Sul — onde defendeu a permanência do vice-presidente da República, Michel Temer, à frente da legenda.

Entretanto, Requião  disse discordar de um “prato feito” para escolha do novo diretório. “Não concordaremos com um acordo entre alguns iluminados. Queremos que a base do partido escolha sua direção nacional”, voltou a propor nesta segunda-feira (7) em Curitiba.

Na carta de Porto Alegre, aprovada no encontro sulista, dirigentes propõe que o PMDB “se afaste dessa desastrosa condução do país e atue de forma independente do governo federal”.

“Temos que desembarcar do governo e construir a unidade em torno do vice-presidente Michel Temer e da direção nacional do partido para socorrer o Brasil e ajudá-lo a sair do precipício onde se encontra”, afirma um trecho da “Carta do Sul”.

“Para deixar o governo, basta o Temer renunciar a vice”, sugeriu o senador do Paraná.

O senador Roberto Requião foi vaiado no encontro peemedebista ao se posicionar contra a condução coercitiva do ex-presidente Lula, na sexta (4). “Como advogado garantista não posso concordar que alguém seja preso ou conduzido coercitivamente sem a intimação”, discursou sob apupos da plateia majoritariamente gaúcha.

No sábado, pelo Twitter, Requião classificou a condução coercitiva de Lula como “sequestro”.

Assista ao vídeo o vídeo do encontro do PMDB SUL:

10 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. O vídeo mostra o isolamento do Requião em relação ao PMDB nacionalmente. Aqui no Paraná o PMDB não está igualzinho pq ele decidiu segurar as pontas. Nessa convenção nacional podemos esperar um belo acordo de caciques em torno de uma ruptura gradual com o governo do PT. O principal diretório do partido hj é o RJ, aliado da Dilma. Mas mesmo eles tem interesse em uma candidatura Serra 2018 pelo PMDB.

  2. Para quem deseja o militarismo ou a ditadura de volta, as sofridas conquistas de ordem democrática para todos não interessa, não tem valor algum.

  3. Se este homem sair do PMDB,terá o meu voto para Presidente.

  4. Uma coisa: há muita gente na direita escondendo pesquisa. Será que o PMDB está com essa bola toda de votos que pensa que tem? É bom ver isso.

  5. Requião é uma esperança de decência. Já é um mal ter que defender por questão de ética partidária e conveniências de votos, Temer, aquele mesmo que foi a São Paulo fazer combinações com o PSDB pelas costas da presidente, ou seja o golpista.

    Conviver com a gauchada direitista do partido com civilidade é tarefa para santo. Quem sabe se Requião não é o cara para resolver o impasse atual?

  6. PMDB velho de guerra virou um ninho de reacionários no Rio Grande do Sul. Aliás, o Brizola, traído por essa cambada toda, já dizia isso há muito tempo.

  7. Pela minha origem tenho vergonha do PMDB gaúcho; de um lado são favoráveis a Temer e por outro são contrários a Presidente Dilma; igualzinho a parte do PMDB paranaense, o qual tenho nojo. Tá na hora de certos indivíduos sair de vez do partido, ou, serem expulsos por sua asquerosa infidelidade ao mesmo.

  8. Requião tem razão, não se trata de defender o Lula e sim a Democracia e a Estado de Direito.

  9. A gauchada endireitou.
    O MDB de guerra, em terras gaúchas, é um vulto quase esquecido.
    Que se abracem com o seu governador tucano.