Requião propõe votação nominal na convenção nacional do PMDB

Roberto Requião levará à convenção nacional do PMDB, neste sábado (12), em Brasília, a proposta de votação nominal para a escolha dos novos integrantes do partido; entretanto, parlamentar paranaense disse discordar de um "prato feito" para escolha do novo diretório. "Não concordaremos com um acordo entre alguns caciques. Queremos que a base do partido escolha sua direção nacional", voltou a propor nesta segunda-feira (7), em Curitiba; no último sábado (5), em Porto Alegre, o senador Roberto Requião foi vaiado no encontro peemedebista dos estados do Sul ao se posicionar contra a condução coercitiva do ex-presidente Lula, na sexta (4). “Como advogado garantista não posso concordar que alguém seja preso ou conduzido coercitivamente sem a intimação”, discursou sob apupos da plateia majoritariamente gaúcha; abaixo, assista ao vídeo.

Roberto Requião levará à convenção nacional do PMDB, neste sábado (12), em Brasília, a proposta de votação nominal para a escolha dos novos integrantes do partido; entretanto, parlamentar paranaense disse discordar de um “prato feito” para escolha do novo diretório. “Não concordaremos com um acordo entre alguns caciques. Queremos que a base do partido escolha sua direção nacional”, voltou a propor nesta segunda-feira (7), em Curitiba; no último sábado (5), em Porto Alegre, o senador Roberto Requião foi vaiado no encontro peemedebista dos estados do Sul ao se posicionar contra a condução coercitiva do ex-presidente Lula, na sexta (4). “Como advogado garantista não posso concordar que alguém seja preso ou conduzido coercitivamente sem a intimação”, discursou sob apupos da plateia majoritariamente gaúcha; abaixo, assista ao vídeo.

O senador Roberto Requião (PMDB-PR) levará à convenção nacional neste sábado (12), em Brasília, a proposta de votação nominal para a escolha dos novos integrantes do partido.

O senador paranaense esteve no último sábado (5) no encontro regional do PMDB Sul — Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Mato Grosso do Sul — onde defendeu a permanência do vice-presidente da República, Michel Temer, à frente da legenda.

Entretanto, Requião  disse discordar de um “prato feito” para escolha do novo diretório. “Não concordaremos com um acordo entre alguns iluminados. Queremos que a base do partido escolha sua direção nacional”, voltou a propor nesta segunda-feira (7) em Curitiba.

Na carta de Porto Alegre, aprovada no encontro sulista, dirigentes propõe que o PMDB “se afaste dessa desastrosa condução do país e atue de forma independente do governo federal”.

“Temos que desembarcar do governo e construir a unidade em torno do vice-presidente Michel Temer e da direção nacional do partido para socorrer o Brasil e ajudá-lo a sair do precipício onde se encontra”, afirma um trecho da “Carta do Sul”.

“Para deixar o governo, basta o Temer renunciar a vice”, sugeriu o senador do Paraná.

O senador Roberto Requião foi vaiado no encontro peemedebista ao se posicionar contra a condução coercitiva do ex-presidente Lula, na sexta (4). “Como advogado garantista não posso concordar que alguém seja preso ou conduzido coercitivamente sem a intimação”, discursou sob apupos da plateia majoritariamente gaúcha.

No sábado, pelo Twitter, Requião classificou a condução coercitiva de Lula como “sequestro”.

Assista ao vídeo o vídeo do encontro do PMDB SUL:

Comentários encerrados.