Coluna do Luiz Cláudio Romanelli: O País dividido, coxinhas X petralhas

dividido

Em sua coluna semanal, o deputado estadual Luiz Cláudio Romanelli (PMDB) aborda o acirramento da disputa política nacional nos últimos dias. Segundo o deputado, quase não sobra mais espaço para o diálogo; e no cenário atual ou se é “coxinha” ou “petralha”.  Para Romanelli é preciso defender as conquistas sociais dos últimos anos, sem abrir mão da apuração profunda das denúncias de corrupção. A solução, segundo ele, é a política proporcionar o exercício da cidadania e o protagonismo para que todos possam se tornar sujeitos da história. Leia, ouça, comente e compartilhe.

“No fim da tarde, nossa mãe aparecia nos fundos do quintal:
meus filhos, o dia já envelheceu, entrem pra dentro”
Manoel de Barros

Luiz Cláudio Romanelli*

Os fatos políticos da última semana que ocuparam todos os espaços dos noticiários apontam para um quadro que clama por muita atenção de todos. Vive-se em tempos de briga de torcida na política. É um clima em que se perde o espaço para o diálogo na construção de consensos eletivos que podem enfrentar a crise, que se institucionaliza — e a qual requer muito, mais muito mesmo, empenho e desprendimento de todos os atores sociais.

É também um tempo de tristeza com tudo o que está acontecendo com o país na jovem e incipiente democracia. Há situações intoleráveis, situações de indignação, de desencanto, de degradação da moral pública, de esmorecimento de sonhos e de um flerte muito perigoso com o retrocesso político.

Não podemos permitir a volta daquilo que combatemos e vencemos, mas que custou a vida de muitos. Não se pode perder no horizonte e nem retroceder décadas de conquistas sociais, de políticas compensatórias, transferência de renda e de acesso ao ensino superior porque estão vinculados a este ou aquele projeto político. O bom combate político não pode ter espaço para satanização das conquistas históricas que permitiram a inserção social de camadas mais pobre da população que antes vivia em condições extrema penúria e de abandono.

Este é um ponto. O outro está no campo da lei, das apurações dos desmandos, dos casos de corrupção que devem garantir todo o direito de defesa aos réus e acusados, mas também deve punir, de forma exemplar, todo e qualquer mal feito com o uso do dinheiro público. Aqui, vale o ditado popular, “pau que bate em Chico, também bate em Francisco” que, trocando em miúdos, significa que ninguém por mais influente que seja, estará fora do alcance da Justiça e do rigor da lei.

Isso também é um duro aprendizado para quem faz da política uma missão de vida, mas que compromete o “projeto de poder” com o patrimonialismo, a usura e o vilipêndio da coisa pública, usando-a como uma extensão privada do seu bem querer. Também é um alerta para a militância que se deixa levar pela falta de crítica e para rumos de interesses pouco confessáveis.

São situações que se exacerbam no atual contexto, mas que não podem acabar com o diálogo – outra característica desse triste momento em que o país vive. Hoje, o símbolo da impossibilidade do diálogo – ou se é coxinha ou se é petralha – está no panelaço, no enfrentamento nas ruas, no achincalhe público em restaurantes. É caminho, como dizem os especialistas, da venezualização – algo que tomou conta do dia-a-dia da Venezuela desde a eleição de Nicolás Maduro em 2013. Não há nenhuma possibilidade de construção de qualquer proposta sem conversar, trocar argumento e chegar há um consenso mínimo.

Na Liderança do Governo, nas horas mais difíceis de 2015 e não foram poucas, pautei a condução das propostas do governo com muito diálogo e respeito com professores, trabalhadores e lideranças dos sindicatos, apesar de todas as dificuldades. Essa é uma marca dos meus mandatos do qual não abro mão. Sem conversa não há solução.

Os desafios que se impõem neste momento e que, reiteradamente, tenho conversado com os colegas parlamentares, amigos, lideranças, jovens, trazem uma receita simples que deve ser bem trabalhada: a política tem que oferecer o exercício da cidadania e protagonismo de todo cidadão para que ele possa se assumir como sujeito da história.

Neste final de semana, assisti a entrevista do ex-governador Olívio Dutra (PT-RS) ao jornalista Roberto D’Avila na GloboNews. Dutra fala do próprio desencanto com seu partido, mas atenta: “A democracia precisa se qualificar, o que significa avançar nos direitos que o povo conquistou e não recuar. Avançar no controle da sociedade sobre o Estado, e não sobrepor o Estado sobre a sociedade e muito menos privatizar o Estado. O Estado não tem de ser máximo nem mínimo, tem de ser eficiente e do tamanho das necessidades do povo e sob o controle da cidadania ativa e efetiva”.

As palavras de Olívio Dutra podem ser o começo de um bom debate que, particularmente, eu estou disposto a travar. Com muito diálogo.

Paz e bem, e uma ótima semana a todos.

*Luiz Cláudio Romanelli, advogado e especialista em gestão urbana, ex-secretário da Habitação, ex-presidente da Cohapar, e ex-secretário do Trabalho, é deputado pelo PMDB e líder do governo na Assembleia Legislativa do Paraná. Escreve às segundas-feiras sobre Poder e Governo.

21 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. I just want to tell you that I am just very new to weblog and definitely savored this web site. Likely I’m want to bookmark your website . You definitely have fantastic articles. Thanks for revealing your web-site.

  2. Sinceramente, Sr. Deputado, o seu nível intelectual é muito baixo.
    Não sei que existem pessoas ainda que votam no Sr.
    O Sr. também leva todo o jeito de ser uma pessoal do mal, um psicopata ator,.. sem sentimento, entende.

  3. Eu sou coxinha, não sou petralha kkkkk

  4. O deputado Romanelli podia contar para a população do Parará quantos delegados da polícia civil ele indicou para as delegacia$ mai$ importante$… olha gente, ontem o fiscal da Receita Estadual disse que a corrupção domina de 80% a 90% aquela instituição. Vocês sabem os números da polícia civil? Perguntem para o deputado.

  5. Romanelli seu trouxa,pare de falar besteira!!!!!!!!

    País dividido o caramba!!!!
    Pare de transformar os roubos dos políticos,em guerra partidária!!

    Não sou vinculado de partido algum,só quero que vocês políticos,parem de roubar o país!!!!!

  6. Até agora não existiu briga de torcidas partidárias. Desde de 2013, passando por não vai ter copa em 2014, as diversas manifestações contra o PT em 2015 só uma torcida gritou, xingou e teve voz na mídia.
    Em 2013 porque o governo esta bem, em 2014 porque foi vencedor nas eleições e em 2015 porque esperava a poeira baixa a militância e principalmente os eleitores do PT ficaram mais na defensiva.
    Agora como a poeira não abaixou o outro lado vai para a rua, vai mostrar o que apoia e seu ponto de vista. Daí políticos conservadores e a mídia querem impedir que os petistas possam se manifestar, as ruas são de todos e principalmente do povo.
    A verdadeira democracia se faz com enfrentamento pacifico entre as partes. Até agora só o lado dos tucanos, da Globo, da oposição teve voz. E agora vai ter o outro lado.
    Esse lado que defende Lula tem o que defender e o que apoiar. O outro lado na maioria só faz gritar, xingar e quando são rebatidos ficam incomodados.
    Não tem mais para onde recuar. Se o PT recuar o PSDB vai perpetuar o atraso. Exemplo é o governo Beto Richa que apesar de ser eleito com grande parte da população governa para poucos. Porque temos pedágio em pista simples a mais de R$ 10,00 e em SC em rodovia com pista dupla o pedágio é R$ 1,90. Porque mesmo sendo produtor de energia, o PR teve o segundo maior aumento de luz no ano passado e por coincidência o primeiro em aumento foi o estado de SP também governado por tucanos. PR e SP também tiveram inflação maior que a média do Brasil, sendo que a do PR foi a maior do Brasil. Ou seja os tucanos de SP e PR em vez de ajudar o Brasil fizeram foi piorar a inflação.
    Veja o RS que elegeu um governador só porque era contra a Dilma, e estão pior que o PR, não conseguem nem pagar os funcionários.
    Então meu caro líder do Beto Richa não é torcida partidária, somos cidadãs que estamos mesmo acuados pela mídia, por rádios que fazem propaganda contra o governo federal e aceita os mesmo erros no governo estadual, vamos por nossas idéias. Se estamos errados então cabe a vocês da oposição ao PT governarem melhores seus estados começando pelo PR. Governar melhor não é controlar a impressa para não mostrar os erros do Beto richa ou controlar os deputados com loteamento do governo ou pagamento de campanhas. Primeiro tem que esclarecer as acusações dos roubos nas receita estadual.
    Não é porque a impressa paranaense não dá o devido destaque aos desvios da receita causado entre outros pelo primo distante mas sócios da mulher do Beto Richa em Universidade, ou do parceiro de corrida do próprio beto Richa é que a sociedade não esta acompanhando.
    E é por essa falta de compromisso da impressa, principalmente da Globo e da rede massa em mostrar ao povo o que é realmente esse governo.
    Não somos torcidas apenas não somos manipulados.

  7. Eu sou de São Paulo, da esquerda com muita honra, só uma curiosidade este senhor, não é o que encheu a cuéca dentro do camburão. Patetas agora que estão vendo a vaca ir para o brejo, vem falar em dialogo, nós estamos mais fortes do que nunca.Em 2018 vocês sentirão o drama.Saudações PT.

  8. Cara isso que eu chamo de misturar as sintonias e ainda causar mais conflito entre as torcidas do Coritiba e do Atlético Paranaense. Desde quando isso poderia ser assim tratado como se fosse um clássico do nosso futebol regional.
    Acredito que tanto coxinhas x petraglias estão contra e a favos do que está sendo investigado a nível nacional e a nível estadual nas corrupções que estão sendo informadas pelos telejornais todos os dias.
    A questão não pode ser levada na brincadeira, porque existem também as brincadeiras sem graça e está é uma delas que só irá acirrar os ânimos entre as torcidas. Que feio seu Romanelli. Ah! E não esquecendo a turma da Rodonorte está com um pedágio não pago pelo senhor há anos. E ainda quer dar uma de colonista bom samaritano!

  9. O sr.deveria ter vergonha ser Lider do governo beto lixo,bom se juntar governo e voce esta explicado lixo sempre ao lado de LIXO.

  10. Este traste ainda é do P M D B,deveria estar camburão um lixo,o seu tempo e suas razão deve chegar LIXO.

  11. O ROMANELLI QUER TRAVAR DEBATE? O DEPUTADO DA BANCADA DO CAMBURÃO, QUE CONTINUA NO PMDB E SE VENDEU PARA O PSDB, QUE É O PARTIDO RESPONSÁVEL POR TODA ESSA CONFUSÃO NO PAÍS, NÃO TEM MORAL PARA DEBATE NENHUM. VAI DEBATER COM O PSDB QUE É O SEU VERDADEIRO PARTIDO. DEIXE O PMDB EM PAZ.

  12. O país dividido e o Paraná bem unido contra o Richa e seus apaniguados (incluindo você).

  13. Caríssimo deputado, para tratar os contendores com isonomia, a senhoria deveria ter registrado “tucanalhas X petralhas”. Mas preferia que o senhor tratasse a questão com mais seriedade. Sabemos como o senhor vive pacificamente com um governo tucano – e até é seu líder na Alep – atolado até o pescoço em denúncias de corrupção. Mas o que está sob ameaça é a democracia que conquistamos há tão pouco tempo. Se o senhor tiver algum apreço pelos seus próprios eleitores, deveria se posicionar claramente contra um golpe que está sendo tentado. A Globo tenta reviver 64. Os justiceiros do Paraná pretendem um golpe branco contra o ex-presidente Lula para afastá-lo da disputa eleitora em 201 e abrir o caminho para o Alckmin. O senhor precisa decidir de que lado vai ficar. Mas o senhor deve saber que aqueles que vão para o campo do arbítrio acabam sempre no lixo da História. Lá onde estão Hitler, o ditador Franco (que o pessoal da GP deve cultuar), o cagueta de Tiradentes e outros assemelhados. Em tempo: o Moro não quis saber quem era o GA das anotações do Marcelo Odebrecht?

  14. Cala-te romanelli

  15. O título revela o seu caráter e seu ódio aos petistas. Um fascista, um golpistazinho barato chamar um petista de petralha é normal mas um deputado que recebe gordos salários com os impostos pagos também por petistas usar tal linguajar é vergonhoso. Respeito, deputado, é bom e os cidadãos merecem.

  16. Me poupe demagogo, hipócrita, o senhor autorizou a votação na Alep, vocês que deveriam legislar a favor do povo que os elegeu, mas não em troca de benesses votam a favor desse governo, deu risada dos professores que estavam lá lutando para manter também conquistas, dentre elas a sua previdência. Não tem vergonha de vir aqui falar em diálogo, quando poderia ter ajudado a evitar o massacre dos professores. Os professores não esqueceram e nunca esquecerão dos deputados do camburão, dentre eles o senhor. 29 de Abril está marcado para sempre, NUNCA esqueceremos!

  17. De acordo. Minha sugestão inicial: código de ética forte e lei para afastar o político rapidamente do cargo. Se é assim com o funcionário público suspeito, mais necessidade há de se afastar o político que maiores males pode fazer. E somente um mandato por favor, estamos cansados.

  18. Romanelli, você não sabe o que é luta de classes? Precisa ler mais. O acirramento a que se refere nada mais é que a classe trabalhadora sendo protagonista da sua história.
    Esse seu discurso pelego de chamamento ao diálogo é típico da elite, quando se vê ameaçada pela classe trabalhadora. Mas, ao mesmo tempo, chamam as forças de repressão para calar o trabalhador. Se esqueceu do 29 de Abril? Nós nunca esqueceremos.

  19. Pois e sr romanelli, disto o sr entende bem basta ver o seu partido comendo nas mãos do governador…..

    • Senhor APROVEITADOR EM TODOS OS GOVERNOS quem és para opinar sobre tais situações? Aliás, de trapaças no atual governo paranaense és um grande partícipe e conhecedor das falcatruas da Publicano e da Empresa Valor…

      • Concordo.
        Nem sei porque fala este cara por aqui..
        Pueril.
        Não conhece nem os coxinhas nem os petralhas.
        Não sei se sobra alguem para ele representar..
        Quem sabe os militares de pijama