Ministro ‘supersincero’ do STF sobre o PMDB: ‘Meu Deus do céu! Essa é a nossa alternativa de poder’

Ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal, nesta quinta-feira (31), reverberou o que muitos brasileiros pensam sobre o golpe contra o mandato de Dilma Rousseff e a alternativa oposicionista à atual presidente da República; “Meu Deus do céu! Essa é a nossa alternativa de poder. Eu não vou fulanizar, mas quem viu a foto sabe do que estou falando", afirmou; declaração ocorreu hoje à tarde durante votação que cassou, por 9 votos a um, jurisdição do juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba, de investigar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal, nesta quinta-feira (31), reverberou o que muitos brasileiros pensam sobre o golpe contra o mandato de Dilma Rousseff e a alternativa oposicionista à atual presidente da República; “Meu Deus do céu! Essa é a nossa alternativa de poder. Eu não vou fulanizar, mas quem viu a foto sabe do que estou falando”, afirmou; declaração ocorreu hoje à tarde durante votação que cassou, por 9 votos a um, jurisdição do juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba, de investigar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal, nesta quinta-feira (31), reverberou o que muitos brasileiros pensam sobre o golpe contra o mandato de Dilma Rousseff e a alternativa oposicionista à atual presidente da República.

“Quando, anteontem, o jornal exibia que o PMDB desembarcou do governo e mostrava as pessoas que erguiam as mãos, eu olhei e: Meu Deus do céu! Essa é a nossa alternativa de poder. Eu não vou fulanizar, mas quem viu a foto sabe do que estou falando”, afirmou o ministro.

Na terça-feira (29), em apenas três minutos, uma reunião do diretório nacional do PMDB aprovou o “rompimento” com o governo federal. Entretanto, conforme registrou o Blog do Esmael, peemedebistas seguiam indicando pessoas para cargos em agências estatais.

Hoje à tarde, por 9 votos a favor e um contra, o STF confirmou a cassação da jurisdição do juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba, de investigar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O relator do processo, ministro Teori Zavascki, criticou o magistrado paranaense pela divulgação de escutas telefônicas ilegais com conversas entre Lula e a presidente Dilma Rousseff.

Comentários encerrados.