Lula participa hoje de plenária sindical contra golpe e em defesa de direitos

lulacentrais

Sindicalistas da CTB, CUT, UGT, Força Sindical, CSB e NCST farão uma plenária nacional às 16 horas, desta quarta-feira (23), em São Paulo, com a presença do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em defesa da democracia e contra a retirada de direitos dos trabalhadores. Na visão dos sindicalistas, caso seja cassado o mandato da presidenta Dilma Rousseff, os primeiros e maiores prejudicados serão os trabalhadores, pois existem uma série de projetos precarizando as relações de trabalho na fila para serem votados pelo Congresso Nacional. Não é por acaso que os financiadores do golpe e das manifestações contra Lula e Dilma são as entidades patronais do País como a Confederação Nacional da Indústria (CNI), Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP), Confederação Nacional da Agricultura (CNA), associações comerciais, etc. Reunião de hoje à noite também organizará marcha antigolpe, no próximo dia 31, rumo a Brasília.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva participa na tarde desta quarta-feira (23), às 16 horas, em São Paulo, de uma plenária em defesa da democracia e contra a retirada de direitos dos trabalhadores. O evento vai reunir sindicalistas da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), Central Única dos Trabalhadores (CUT), União Geral dos Trabalhadores (UGT), Força Sindical, Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB) e Nova Central Sindical dos Trabalhadores (NCST).

As centrais sindicais também darão o pontapé inicial à organização de uma marcha antigolpe, no próximo dia 31 de março, rumo a Brasília, onde prometem manifestação na Praça dos Três Poderes.

Para os dirigentes sindicais, os trabalhadores e trabalhadoras serão os mais prejudicados caso o golpe contra a democracia se concretize. Se o Congresso Nacional cassar o mandato de presidenta Dilma Rousseff, eleita democraticamente pelo voto popular, centenas de projetos de lei que retiram direitos conquistados, devem ser votados imediatamente.

As principais entidades patronais do País como a Confederação Nacional da Indústria (CNI), Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP), Confederação Nacional da Agricultura (CNA), as associações comerciais e sindicatos patronais, estão apoiando o golpe. São essas entidades que patrocinam todos os projetos que suprimem direitos assegurados à classe trabalhadora. No entendimento dos sindicalistas, só unidos e organizados será possível impedir este imenso retrocesso.

Os trabalhadores da Ford em São Bernardo do Campo já se posicionaram contra o golpe em defesa dos direitos trabalhistas. A decisão foi votada em assembleias realizadas nesta terça (22). A fábrica emprega 4 mil pessoas. O Sindicato dos Metalúrgicos do ABC Paulista irá realizar assembleias com o mesmo tema em outras fábricas nos próximos dias.

Serviço: Encontro de sindicalistas com Lula
Encontro de sindicalistas em apoio a ida de Lula ao Ministério; em defesa da democracia; contra o impeachment; pela garantia dos direitos sociais.
Dia 23/03 – Quarta-feira
16 horas – Casa de Portugal, Liberdade – SP

Com informações da CUT e CTB

Comentários encerrados.