Lava Jato sai dos trilhos e todos querem escapar na poeira do golpe

do Brasil 247

Tereza Cruvinel, em artigo no Brasil 247, explica como a Lava Jato saiu dos trilhos; segundo a jornalista, tudo começou sair do script quando Dilma chamou Lula para ajuda-la a resistir e a soerguer o governo, e o nomeou ministro; “Moro dá o tiro de escopeta da divulgação ilegal dos grampos. Foi aí que a narrativa começou a sair dos trilhos. Moro expôs-se mais que o devido, para além do previsto no script”, relata; de acordo com a articulista, base social de Lula e do PT também foi às ruas e a consciência jurídica manifestou-se contra o impeachment por razões políticas, que assim sendo, ganhou outro nome, como disse Renan Calheiros: “golpe”; para engrossar o caldo dessa nova narrativa, juiz Sérgio Moro decidiu libertar nove pessoas presas na Operação Xepa, que teve foco na Odebrecht; magistrado vai remeter autos para o Supremo Tribunal Federal na segunda-feira (28), haja vista que a maioria do Congresso Nacional, juízes, membros do Ministério Público, Forças Armadas, partidos políticos, etc., também fazerem parte do listão da Odebrechet.

Tereza Cruvinel, em artigo no Brasil 247, explica como a Lava Jato saiu dos trilhos; segundo a jornalista, tudo começou sair do script quando Dilma chamou Lula para ajuda-la a resistir e a soerguer o governo, e o nomeou ministro; “Moro dá o tiro de escopeta da divulgação ilegal dos grampos. Foi aí que a narrativa começou a sair dos trilhos. Moro expôs-se mais que o devido, para além do previsto no script”, relata; de acordo com a articulista, base social de Lula e do PT também foi às ruas e a consciência jurídica manifestou-se contra o impeachment por razões políticas, que assim sendo, ganhou outro nome, como disse Renan Calheiros: “golpe”; para engrossar o caldo dessa nova narrativa, juiz Sérgio Moro decidiu libertar nove pessoas presas na Operação Xepa, que teve foco na Odebrecht; magistrado vai remeter autos para o Supremo Tribunal Federal na segunda-feira (28), haja vista que a maioria do Congresso Nacional, juízes, membros do Ministério Público, Forças Armadas, partidos políticos, etc., também fazerem parte do listão da Odebrechet.

A Operação Lava Jato desenrolou-se, nos últimos dois anos, seguindo uma narrativa com início, meio e fim. Uma história que devia terminar com Lula preso e responsabilizado pela montagem de um mega-esquema de corrupção para financiar a manutenção do PT no poder. Caracterizado como podre e corrupto, o partido, no final da história, também poderia ter seu registro cassado e desaparecer de cena. De Dilma, cuidaria o Congresso com o impeachment.  Alguns fatos recentes, entretanto,  estão ameaçando o o curso da narrativa. Por isso a lista da Odebrecht agora foi posta pelo Juiz Moro sob sigilo, depois de ele ter autorizado a divulgação do grampo Dilma-Lula. Por isso o Ministério Público praticamente dispensou a “colaboração definitiva” da empreiteira.

Em agosto do ano passado, quando José Dirceu foi preso às vésperas do protesto do dia 16 daquele mês contra Dilma e o governo, a narrativa fez uma forte inflexão. Registramos neste blog, no dia 25 de agosto:  “Lava Jato muda narrativa para chegar a Lula”.  Falando sobre a 17ª. Fase, em que Dirceu foi preso, o procurador Carlos Fernando dos Santos Lima, porta voz mais frequente do comando de Curitiba, afirmou repetidas vezes em relação a Dirceu: “Chegamos a um dos líderes principais, que instituiu o esquema, permitiu que ele existisse e se beneficiou dele”. E estabeleceu a comparação com o mensalão de 2005: “O DNA é o mesmo: compra de apoio político”.  Com muita insistência afirmou que o esquema “teve início no governo Lula” e perguntado se o ex-presidente também seria investigado respondeu:”nenhuma pessoa no regime republicano está isenta de ser investigada”. A frase inteira em que ele responsabiliza Dirceu foi claramente insinuante: “Não descarto que existam outros cabeças mas chegamos a um dos líderes principais, que instituiu o esquema, permitiu que ele existisse e se beneficiou dele”.

Vieram as outras fases. A Odebrecht foi a única empreiteira que, mesmo tendo seu principal executivo e herdeiro preso, recusou-se a fazer acordo de delação. Nas fases seguintes, não foram encontradas provas de que Lula era “o outro cabeça” ou a principal cabeça do esquema Petrobrás. Ele então começou a ser investigado pelas obras no sítio de Atibaia e por reformas no apartamento que não chegou a comprar. Dava no mesmo, ou quase.

O cerco a Lula foi se fechando ao mesmo tempo que o Congresso avançava contra Dilma com o impeachment. Quando ela chama Lula para ajuda-la a resistir e a soerguer o governo, e o nomeia ministro,  Moro dá o tiro de escopeta da divulgação ilegal dos grampos. Foi aí que a narrativa começou a sair dos trilhos. Moro expôs-se mais que o devido, para além do previsto no script.

A base social de Lula e do PT também foi às ruas. A consciência jurídica manifestou-se contra o impeachment por razões políticas, que assim sendo, ganha outro nome, como disse Renan Calheiros. O nome de golpe.

E para completar, com a operação Xepa invandindo suas sedes em várias cidades, a Odebrecht informa em nota que está disposta a fazer uma “colaboração definitiva” sobre fatos que se relacionam com a existência “de um sistema ilegal e ilegítimo de financiamento do sistema partidário-eleitoal”. Opa, de um sistema? Na narrativa original estava escrito “um partido”.

E começa o vazamento da lista com mais de 300 nomes do “sistema” que receberam dinheiro da empreiteira. Doações legais ou ilegais? Não importa, pois as doações das empreiteiras ao PT não são consideradas como “propinas”.

O “sistema”, segundo a lista, é antigo, remonta aos anos 1980. Opa, isso contradiz o procurador que afirmou sem sombra de dúvida que ele “foi instituído no governo Lula”.

O Ministério Público então avisa que não tem interesse pela delação da Odebrecht. Ela poderia ser um tiro fatal na narrativa.

Mas aí vem Pedro Correa, um velho político das franjas do sistema, com uma delação em que espalha bala para todo lado. Afirma até que FHC comprou a emenda da reeleição com a ajuda do Banco Itaú.

Encalacra o PSDB, o TCU e todo mundo.

O país também tem direito à delação de Pedro Correa. Só falta ela ser protegida por sigilo, como nenhuma outra foi.

Definitivamente, a narrativa está saindo do script original.

Está se caracterizando a existência de um “sistema” de financiamento da política a partir do Estado mas não um financiamento público transparente e lícito. Tal sistema se baseia no financiamento pelo Estado a partir dos contratos com grandes empresas fornecedoras, e nele os operadores de dentro e fora do Estado embolsam uma boa parte. Baruscos e companhia. Um sistema que gera e realimenta a corrupção, qualquer que seja o partido no poder.

Esta verdade não interessa à Lava Jato e aos que dela se valeram para fomentar a crise. Não interessa ao “sistema”.

Mas é a partir dela que poderemos realmente passar o sistema político a limpo para o bem da democracia.  Se ele for mantido,  mesmo com Lula defenestrado da cena política, Dilma afastada e o PT banido para a terra do mal, mesmo com as empreiteiras sangradas, abrindo espaço para empresas estrangeiras, outras crises virão.

A palavra do momento é acordão. Faz-se o impeachment e na poeira todos escapam. Com isso, as ruas não podem concordar. Nem as que estão contra Dilma, nem as que combatem o golpe.

17 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. XIIIIIII TOCARAM FOGO NO CIRCO DO MORO .SALVE-SE QUEM PUDER KKKKKK.NAO VAI TER GOLPE SEUS VAGABUNDOS.

  2. A mentira, diz um ditado popular, tem pernas curtas. Será que uma tal emissora, que é imparcial em suas notícias, só fala a verdade, presa pela ética vai por no ar essa notícia? Como dizem os que estão acordados “Fora … o povo não é bobo” Esse povo que não é bobo, tem consciência política, é crítico e sabe muito bem discernir o que é bom e o que não é. Infelizmente muitos do povo não tem nenhuma consciência política e nem sabem discernir o que é bom e o que não é. Esse povo que não é bobo faz uma diferença grande para o país. Que possamos trazer o restante do povo para ficar unidos junto com esse povo que não é bobo, aí sim vamos ver como fica essa emissora em sua audiência.

  3. Nenhuma confiança em Sérgio Moro! Não existe capitalismo de mãos limpas. A única saída é a construção do socialismo. Por um governo socialista dos trabalhadores, sem patrões e sem corruptos.

    • A mentira, diz um ditado popular, tem pernas curtas. Será que uma tal emissora, que é imparcial em suas notícias, só fala a verdade, presa pela ética vai por no ar essa notícia? Como dizem os que estão acordados “Fora … o povo não é bobo” Esse povo que não é bobo, tem consciência política, é crítico e sabe muito bem discernir o que é bom e o que não é. Infelizmente muitos do povo não tem nenhuma consciência política e nem sabem discernir o que é bom e o que não é. Esse povo que não é bobo faz uma diferença grande para o país. Que possamos trazer o restante do povo para ficar unidos junto com esse povo que não é bobo, aí sim vamos ver como fica essa emissora em sua audiência.

  4. Como apareceram centenas de amigos da Globo na lista da Odebrecht (e quem é amigo da Globo é amigo do Moro), o juiz de 1a. instância decretou sigilo nível ultramáximo e despachou a papelada pro STF. De agora em diante, o juiz que estudou nos Estados Unidos, vai se dedicar só ao caso Lula. Operação daqui pra frente só se tiver ligação com pedalinhos, sítios, cozinhas planejadas… O triplex também não vem mais ao caso já que a vizinhança do triplex “do Lula” também é de amigos da Globo e quem é amigo da Globo é amigo também de quem faz a diferença…

  5. Não acredito que tendo a Constituição como guia fácil para se evitar erros.
    O respaldo para aplicar a lei…
    Alguns funcionários publicos como este JUIZ e outros, conseguiram estragar
    uma operação que poderia trazer beneficios ao país…como a prevenção de atos
    de corrupção, descobrir a trama, os caminhos, criar recursos e maneiras de ajudar o
    País..
    MAS…não o fizeram, por interesses próprios, outra TIPIFICAÇÃO DE CORRUPÇÃO.
    Vão ter que experimentar ao menos, a MÂO DA JUSTIÇA que existe nas linhas da
    CONSTITUIÇÂO.
    Ela é pesada para quem não a respeita..Energica como deve ser.
    Ela é a protetora do cidadão.

  6. Os tocados honestissimo garantem auxílio moradia gatinhos de perdas de seus salários pensões vitalícias das filhas solteiras etc etc etc são estes seres honestos que vão julgar o ex presidente por alguns suposto presentes depois de sair da presidência da República .Estes mesmos juízes cegos com todo a agressividade de um governo contra os professores ! Estes mesmos juízes que permitem o uso do fundo previdenciarios dos funcionarios estes mesmos juízes que maravilha esta na hora de uma reforma juridica , políticas e tributárias este é o motivo verdadeiro que o povo deveria ir as ruas reformas sim .O golpe contra a ditadura não !

  7. No Meio do Caminho
    Carlos Drummond de Andrade

    No meio do caminho tinha uma pedra
    Tinha uma pedra no meio do caminho
    Tinha uma pedra
    No meio do caminho tinha uma pedra.

    Nunca me esquecerei desse acontecimento
    Na vida de minhas retinas tão fatigadas.
    Nunca me esquecerei que no meio do caminho
    Tinha uma pedra
    Tinha uma pedra no meio do caminho
    No meio do caminho tinha uma pedra.

    -nem os fascistas são capazes de exterminar as pedras.

  8. Os juizes sérios incorruptíveis que garantem gatilhos salariais auxílios moradia .Rsrsrsrs São os que julgaram o Lula põe receber supostamente um presente depois de deixar de ser presidente hahahaha que palhaçada.

  9. Muito bem

  10. Justiça de interpretação,justiça partidária parcial,isso nunca vai ser JUSTIÇA,tudo deve terminar em PIZZA,produzida por um JUIZ que esconde verdades COMO as do banestado,e as de beto lixo,bem ao seu lado isso e justiceiro não justiça VERGONHA.

  11. http://www.msn.com/pt-br/noticias/brasil/dela%C3%A7%C3%A3o-da-odebrecht-poderia-comprometer-tamb%C3%A9m-judici%C3%A1rio-e-mp/ar-BBqXrfh?li=AAggXC1&ocid=mailsignoutmd

    queremos uma investigação ampla e sem partido, chega de PT de PSBD .etc. ou se faz uma limpa ou agora se faz uma limpa, se o judiciário não por essa gente na cadeia vai dar mer%$, e teremos uma guerra civil.